PLACAR

Klier arranca no ranking, Romboli perto do top 100

Foto: João Pires/Fotojump

Miami (EUA) – O brasiliense Gilbert Klier foi o destaque brasileiro no novo ranking internacional divulgado pela Associação masculina (ATP). Finalista no challenger de Temuco, sobre piso sintético, o tenista de 23 anos avançou 105 posições e atingiu o 356º posto, apenas dois abaixo de sua melhor marca pessoal, obtida em junho do ano passado.

Outro brasileiro que reagiu no ranking foi o paulista Pedro Sakamoto. quadrifinalista em Temuco. Ele fecha a temporada 2023 na 340ª posição, ainda atrás de seu recorde no circuito, o 284º posto, alcançado em fevereiro de 2020.

Já na lista de duplas, Fernando Romboli mais uma vez chega perto do top 100. Finalista do challenger de Maia no domingo, o carioca radicado em Santos aparece agora no 104º lugar. Ele já foi o 88º do mundo em julho do ano passado.

Também nas duplas, Mateus Alves arrancou 45 posições e atingiu o mais alto ranking de sua carreira na especialidade. O campeão de Temuco agora é o 213º colocado.

Veja como estão os brasileiros na lista de simples desta segunda-feira e as variações entre parênteses:
Thiago Wild – 79 (+1)
Thiago Monteiro – 122 (-2)
Felipe Meligeni – 138 (-2)
Gustavo Heide – 244 (0)
João Lucas Reis – 314 (+7)
Pedro Sakamoto – 340 (+25)
Matheus Pucinelli – 341 (+12)
Orlando Luz – 343 (+1)
Gilbert Klier – 356 (+105)
Eduardo Ribeiro – 391 (-49)

Em duplas, os dez brasileiros mais bem posicionados agora são:
Marcelo Melo – 47 (0)
Rafael Matos – 59 (0)
Marcelo Demoliner – 76 (0)
Fernando Romboli – 104 (+3)
Marcelo Zormann – 118 (0)
Orlando Luz – 125 (0)
Pedro Boscardin – 177 (-3)
Mateus Alves – 213 (+45)
João Lucas Reis – 214 (+20)
Gustavo Heide – 228 (-16)

9 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gusmão
Gusmão
2 meses atrás

Faltam torneios no Brasil. Principalmente os ITF, onde acontece a transição do amador para o profissional, e os jogadores Brasileiros tem condições de conquistarem seus primeiros pontos no ranking ATP de Simples, e também de crescimento.
A CTB mais uma vez está atrasada, agora para 2024, muitos Países já agendaram Torneios ITF.
De 10 anos para cá, a CBT decaiu, alguns jogadores estão conseguindo bom ranking por méritos pessoais.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
2 meses atrás

Todos eles melhoraram em relação ao ano passado. Exceto Monteiro, mas está se recuperando Do Heide ao Ribeiro, tem condições de se fizerem até abril, um bom trabalho alcançam RG e WB. Tipo umas 3 ou 4 semi ou uma 5 ou 6 quartas, depende dos descartes de cada um. Imagina 10 Brazucas em GS + feminino?? Parabéns a todos , incluindo as duplas

Gusmão
Gusmão
2 meses atrás

Parabéns aos Brasileiros esforçados, estão se mantendo no ranking por qualidade e. Muito esforço.

Marcelo Scotton
Marcelo Scotton
2 meses atrás

Ranking continua expressando uma sensação ruim do momento do nosso tenis.
1 top 100
2 top 200
1 top 300
É, de fato, muito pouco.
Precisamos ter um 2024 de melhores resultados. Se não, vamos continuar comemorando migalhas e sendo atropelados por países de menor expressão como a Argentina.

Renato
Renato
2 meses atrás
Responder para  Marcelo Scotton

Concordo. Deve-se ressaltar e reconheçer o esforço de todos e melhora de alguns, mas ainda tem muito chão em comparação com países menores e com menos tradição.

Rogério Falco
Rogério Falco
2 meses atrás
Responder para  Marcelo Scotton

A Argentina no tênis tem bem mais tradição que o Brasil, possui um trabalho de base mais consistente. Não dá para considerar a Argentina de “menor expressão” se vc olhar o ranking e ver inúmeros jogadores entre o top 200, talvez só os EUA tem mais representantes.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
2 meses atrás

Klier tem tudo pra fazer um ótimo 2024 assim como o Heide

Guilherme Corrêa
Guilherme Corrêa
2 meses atrás

Estamos há 15 dias sem lermos o termo “Brazilian Storm” utilizado de forma equivocada neste espaço.

Parabéns a todos.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
2 meses atrás
Responder para  Guilherme Corrêa

Assim como tb não temos os Haters ofendendo e falando de pangaré os nossos tenistas , cada um é esforçado e no seu limite. Uns vão melhorar , outros se manter e talvez alguns piorarem, mas agora dá gosto escrever , com elogios e críticas respeitosas. Como disse o Gusmão , a CBT precisa acreditar e investir em torneios aqui.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE