PLACAR

Kerber e Wozniacki celebram reencontro após 6 anos

Foto: Michael Cummo/BNP Paribas Open

Indian Wells (EUA) – As oitavas de final do WTA 1000 de Indian Wells têm reservado para a próxima terça-feira um grande duelo entre duas tenistas que já foram número 1 do mundo e retornaram ao tênis há poucos meses, após a maternidade. Pela 16ª vez no circuito e a primeira desde 2018, a alemã Angelique Kerber medirá forças com a dinamarquesa Caroline Wozniacki valendo uma vaga entre as oito quadrifinalistas do torneio californiano.

Nos 15 confrontos anteriores, Kerber venceu oito, mas o último triunfo aconteceu apenas em 2016, na semifinal do US Open, em campanha que culminou no seu segundo título de Grand Slam e na chegada inédita ao topo do ranking mundial. Já em Indian Wells, foi Wozniacki quem venceu o único duelo já realizado entre as duas, com uma virada na semi de 2013.

Após quase seis anos sem se enfrentarem, a alemã de 36 anos e a dinamarquesa de 33 admitem certa ansiedade por poderem reviver essa rivalidade saudável. Kerber, por exemplo, diz que esse duelo era algo que ambas esperavam bastante, mas acredita que as duas jogadoras enxergam o confronto de uma maneira diferente após a maternidade.

“Acho que nós duas estávamos esperando esse momento, que esse jogo chegasse, também com ambas na mesma situação. Tentaremos oferecer um bom jogo, deixando uma grande batalha por aí. Agora somos amigas e continuaremos amigas depois disso. As duas vão tentar vencer, mas sabemos que há coisas mais importantes do que uma partida de tênis, embora para toda a torcida seja um duelo muito interessante”, destacou.

Kerber e Wozniacki confirmam duelo em ótimo IW das ‘mamães’

Por sua vez, Wozniacki revelou que nem sabe quem está à frente no confronto direto, mas enfatizou o quanto está empolgada para rever a alemã. “Vai ser um grande jogo. Já nos enfrentamos muitas vezes, então não haverá segredos. Nós duas conhecemos muito bem a outra, dentro e fora de quadra, sabemos o que fazer e o que esperar, e quem for melhor vencerá. Temos uma rivalidade muito equilibrada, então tenho certeza que será uma grande partida. Estou animada”, afirmou a dinamarquesa, que venceu os dois duelos mais recentes, no piso duro de Doha e na grama de Eastbourne em 2018.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Tentando empatar o histórico diante de Kerber, a campeã de 2011 na Califórnia também fez uma avaliação sobre suas condições físicas atuais e acredita que, se estiver em um bom dia, pode derrotar qualquer adversária. “Meu condicionamento físico está melhor agora do que no US Open, me esforcei muito nisso. Não é fácil voltar a se sentir 100% depois da gravidez. Sendo uma atleta de ponta e com dois filhos acho que é ainda mais difícil. Tudo depende da abordagem que você tem para tentar se manter saudável e recuperar a força central. Sinto que estou jogando meu melhor tênis e que posso vencer qualquer uma em um dia bom”, explicou.

Do outro lado, a alemã também falou sobre as dificuldades de retomar a carreira após uma longa pausa para ter um filho. “Não é fácil voltar depois de tanto tempo. Para voltar a jogar em alto nível é preciso ter muita paciência. Venho treinando há meses e agora estou feliz com as partidas que tenho feito. É bom entrar em quadra e colocar em prática tudo o que trabalhei. Claro que sempre há dúvidas, principalmente se você não estiver se sentindo bem. Depois de quatro meses de preparação, neste momento não poderia estar mais feliz por me ver competindo”, disse a vice-campeã de 2019.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
eduardo spacca
eduardo spacca
1 mês atrás

Que bacana isso. Exemplos para as próximas gerações

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  eduardo spacca

Sem dúvida! E que tenham mais mamães no circuito. Elas são incríveis.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE