PLACAR

Jabeur: “Tratam mulheres e homens de forma diferente aqui em Madri”

Foto: Jimmie48/WTA

Madri (Espanha) – Uma das vozes firmes no circuito em assuntos mais delicados, a tunisiana Ons Jabeur não teve problema em disparar contra a organização do torneio de Madri e garantiu que as mulheres não são tão bem tratadas quanto os homens. Para ela, quem está de fora pode não perceber, mas de dentro é sensível a diferença.

“O tênis é um esporte do qual tenho muito orgulho de fazer parte como mulher. No entanto, sinto que ainda temos um longo caminho a percorrer, especialmente aqui em Madri, em Roma e na Europa em geral. Eles deveriam respeitar muito mais as mulheres, devem respeitar a forma como jogamos”, comentou a tunisiana de 29 anos.

“Há coisas que sentimos nos treinos e vemos como as mulheres e os homens são tratados aqui e talvez o tratamento seja completamente diferente. Talvez de fora não dê para perceber. Sou uma daquelas pessoas que levanta a voz. Gosto muito de assistir o tênis feminino, os esportes femininos em geral, acho que merecemos mais”, acrescentou Jabeur.

Classificada para as quartas de final após uma vitória firme sobre a letã Jelena Ostapenko, com parciais de 6/0 e 6/4, a oitava favorita em Madri terá pela frente a norte-americana Madison Keys.

Jabeur lamenta que a diferença de gêneros ultrapasse apenas as questões internas no torneio. “Há momentos em que as pessoas julgam o tênis feminino sem nem assistir a uma partida. Isso me incomoda muito. Por exemplo, eu adoraria chegar ao hotel, aqui na Espanha, ligar a televisão e ver que estão transmitindo uma partida de tênis feminino”, disse a número 9 do mundo.

“Ainda não vi um único jogo feminino. Tudo o que mostram é masculino, e entendo que há muitos espanhóis jogando, mas é tão difícil pedir uma única partida? É muito frustrante ver isso. Como você pode inspirar meninas se não mostra uma única mulher compatível? Então é claro que eles acham que o tênis masculino é melhor”, finalizou a tunisiana.

43 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Adalberto
Adalberto
19 dias atrás

Lamentável!
Tem mesmo que denunciar!
E olha que o ano passado foi pior…
Nem teve cerimônia na premiação das dupla femininas!
Pediram desculpa, disseram que iriam melhorar, mas parece que não…

Bukele
Bukele
19 dias atrás
Responder para  Adalberto

Ninguém se interessa em assistir gente fraca. Querem forçar o povo a assistir um monte de fracotes tipo a Seleção Feminina de Futebol do Brasil, ESQUECE, NÃO VAI ACONTECER.

Aílson Lopes
Aílson Lopes
19 dias atrás
Responder para  Bukele

Que comentário infeliz. Pessoa despreparada e preconceituosa é que é fraca.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
19 dias atrás
Responder para  Adalberto

Ela foi bem clara em relação a Europa. Nos MASTERS Norte-Americanos a audiência da WTA nas FINAIS foi excelente. Casa cheia oi. E a grana que os Árabes pagaram pela exclusividade do WTA FINALS, calou até Evert e Martina . Até porque não haverá restrições nos Hotéis para parceiros(as) do mesmo sexo . É mole ou quer mais ? … Abs!

Felipe Rossa
Felipe Rossa
19 dias atrás

Discordo de vc!
Uns anos atrás nos EUA transmitiam mais jogos Femininos por causa da Serena.
Tênis é momento,aqui no Brasil por exemplo todos jogos transmitidos até o ano passado eram Femininos por causa da Bia, agora que começou a ter uma acensão do Wild, Fonseca e companhia que começou a equilibrar.
Para de vitimismo…

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
19 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

Perfeito.

Fernando S P
Fernando S P
19 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

A TV age de acordo com os incentivos. Prioriza-se o que atrai mais audiência, afinal, é isso que vai fazer ela ter mais lucro. O que a Ons está sugerindo é uma interferência que crie um “equilíbrio” artificial. De repente, ele faz um lobby para que os políticos concedam uma ajuda “republicana” à mídia para “equilibrar” as coisas, enquanto aguardamos surgirem novas Serenas, Grafs, Navratilovas, Everts.

Atualmente, os protagonistas na Espanha chamam-se Carlos e Rafael (a Sorribes Tormo é a número 1 do país). Embora a Ons seja uma pessoa muito legal, ela nunca ponderou sobre isso na vida. É um tanto ignorante sobre os mecanismos que produzem um maior bem-estar para a sociedade. Mas como eu escrevi, ela parece ser uma pessoa muito gentil e bem intencionada. A ignorância é algo que pode ser superada.

Última edição 19 dias atrás by Fernando S P
Cristiana
Cristiana
19 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

Concordo em partes. Ela se referiu a Madri, Roma e Europa em geral.
Você falou Estados Unidos.
Ou seja, não li a declaração no original mas aparentemente a crítica é voltada predominantemente para Europa. E deixe que ela fale , ora, não é vitimismo, é constatação . Ou você acompanha a programação da TV espanhola pra dizer que ela esta errada?

Bukele
Bukele
19 dias atrás
Responder para  Cristiana

Jabeur e outras pessoas insistem em não aprender que o esporte é movido à grana e a TV é movida a audiência, não são movidos à “igualitarismo”. Isso é idéia de criancinha que acredita em baboseiras de brocoióis alegres. Se não tem uma espanhola top pra torcer mas tem espanhol top no masculino pra acompanhar, é ÓBVIO que vão passar jogo masculino.

Brenno Tavares Neto
Brenno Tavares Neto
19 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

Acho perigoso chamar de vitimismo… Ainda mais de nós homens que vivemos num confortável mundo machista! Acho relevante e pertinente escutar a visão feminina. Fora que a Espanha é machista desde sempre!

Jan
Jan
19 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

Ela referiu-se à Madrid, Roma e torneios da Europa em geral! Concordo com a Jabeur!

Rafael F
Rafael F
18 dias atrás
Responder para  Felipe Rossa

Concordo

Paulo Mala
Paulo Mala
19 dias atrás

Apenas aquele velho Mi-mi-mi de sempre, como Neymar e Marta.
Ela quer ser tratada como grande estrela, mas a categoria dela não é a principal, simples assim.
Me desculpem, mas quem vai trocar um jogo dela ou uma swiatek para deixar de ver um sinner, um alcaraz, etc. Até revelações como o Fonseca é mais interessante de se ver do que ela ou a líder do ranking.

Cristiana
Cristiana
19 dias atrás
Responder para  Paulo Mala

Eu trocaria. Aliás, com o app Star+, assisto aos jogos femininos.

Bukele
Bukele
19 dias atrás
Responder para  Cristiana

Duvido que vc acompanhe tênis, em primeiro lugar. Discursinho não cola aqui. Além disso,vá por favor aprender a realidade sobre a vida: esporte e TV são movidos à grana e interesse, Não vão passar jogo feminino na Espanha se o maior ídolo espanhol do tênis está no masculino, o Carlos Alcaraz. Não existe isso de “ain, vamos ver jogo de mulher só pq são mulheres jogando”. Não, ninguém vai ver jogo ruim de gente fraca ou irrelevante, as pessoas vão focar nos talentos.

Tom
Tom
19 dias atrás
Responder para  Bukele

Muita arrogância na resposta, não havia necessidade disso

Yuri Washington
Yuri Washington
19 dias atrás
Responder para  Bukele

Está claro que vc não quer discutir tênis, mas, sim, ser machista. Olhar para o próprio umbigo é esporte mais praticado entre caras como vc jahahah

Paulo Mala
Paulo Mala
19 dias atrás
Responder para  Cristiana

Só assisto quando não tem masculino e se tiver alguma tenista bonita e que eu não tenha mais nada pra fazer…

Marcio
Marcio
19 dias atrás
Responder para  Cristiana

Está claro que você não entende nada do esporte!

Paulo A.
Paulo A.
19 dias atrás

Que vergonha para a Espanha! Mas,será que na Tunísia é muito diferente?

Cristiane
Cristiane
19 dias atrás

Aqui no Brasil eu sigo todos os campeonatos no canal fechado e as reportagens nacionais e internacionais, tanto feminino e masculino. Acabo acompanhando o que é liberado aqui para o canal aberto. Praticamente este ATP de Madri é que se deu preferência para passar todos os brasileiros (masculino e feminino – BIA) por causa do interesse do que o Fonseca despertou (merecido!!).
Mas antes de dava preferência somente para a BIA até quando se jogava Nadal, Alcaraz, Djoco no canal aberto.
Mas também aqui se observarmos, infelizmente as emissoras até nos grandes campeonatos não disponibilizam o dia todo a programação e mais de 1 canal.
olha que são cerca de 14 horas de tênis por dia no minimo.

Bukele
Bukele
19 dias atrás
Responder para  Cristiane

Não perde seu tempo fazendo campanha não. Amante de esporte quer ver os melhores do mundo, os talentos, quem vai disputar a medalha de ouro.Não assistimos esporte por viés político.

Leonardo
Leonardo
19 dias atrás

Acho curioso as reclamações. Esperava ser algo realmente da organização, tipo disponibilidade de quadras, transporte para o hotel e regresso, alguma coisa de infra estrutura. Mas o eu entendi que que ela reclama é que não estão transmitindo. Isso não é organização, é audiencia na televisão. Infelizmente o tenis feminino não atrai tanto publico quanto o masculino. Temos no planeta mais ou menos 50% de homens e mulheres. A maioria dos fãs de esporte, inclusive do feminino é homem. Se as mulheres passasem a assistir o esporte feminino ao invés de somente reclamar aumentariam a audiencia, a arrecadação, a premiação… Só que a midia que atrai as mulheres é outra, não a esportiva, então antes de reclamar com a organização, reclama com as representantes do seu proprio sexo.

Guilherme
Guilherme
19 dias atrás

Mimimi …. quem dá mais audiencia da mais grana… quando modelos mulheres ganham mais q homens, ninguem fala nada…

Cristiana
Cristiana
19 dias atrás

Bom ter vozes como a dela no circuito, especialmente vindo do país de onde vem ….

Última edição 19 dias atrás by Cristiana
Luiz Henrique
Luiz Henrique
19 dias atrás

Concordo, não tem tratamento igual, o homem é tratado sempre muito pior.

João Sawao ando
João Sawao ando
19 dias atrás

Ela em parte tem razão

Luciano
Luciano
19 dias atrás

Acho que ela tem razão em partes. Acho que as TVs também tem o direito de transmitir o que lhe dá maior lucro também. Acho que quem acha o tênis masculino melhor também tem certa razão, enfim! Só de uma coisa que tenho certeza absoluta: essa galera da elite do tênis ganha muito bem com premiações e quem paga isso somos nós, que alimentamos a publicidade desse fantástico esporte!

Horacio
Horacio
19 dias atrás

Em gimnasia artística tratam os homens em forma diferente que as mulheres.

Paulo Mala
Paulo Mala
19 dias atrás
Responder para  Horacio

Ginastica, mundo da moda, Voleibol pelo menos no Brasil, as mulheres ganham mais. E está tudo certo! Cada área tem suas peculiaridades e valores envolvidos, não dá pra ter valores iguais em tudo

Fábio
Fábio
19 dias atrás

É um comentário pior que o outro aqui. Galera mal consegue disfarçar o machismo. Nem Dramin segura o vômito ao ler.

Paulo Minoso
Paulo Minoso
19 dias atrás
Responder para  Fábio

Ler o contraditório incomoda, não é mesmo? Siga vivendo no seu universo paralelo em que tudo é ofensivo e a lógica é desprezada.

O hotel da tenista militante deve ter Wi-fi. E ela pode assistir ao jogo que quiser na Tennis TV. Não precisa ver a “machista” TV espanhola que insiste em dar mais atenção aos perebas Alcaraz e Nadal.

o realista
o realista
19 dias atrás
Responder para  Fábio

Não vi ninguém desmerecendo as mulheres aqui. Poderia explicar aonde está o tal machismo?

Bruno Zocchi
Bruno Zocchi
19 dias atrás

Importante que ela e outras tenistas se posicionem e cobrem um tratamento igualitário da organização do torneio, que já deu suas patuscadas ano passado. Quanto às exibições, infelizmente penso que transcende a organização e de fato temos jogos com mais “apelo” no masculino, o que não deveria impedir as televisões de fazer uma boa cobertura também do tênis feminino, seja com canal adicional, tela divida, etc. Temos tido excelentes jogos da WTA e tem sido ótimo acompanhá-los pelo Star+.
Grande Jabeur!

Sidney
Sidney
19 dias atrás

Compreendo mas a mídia procura audiência, dinheiro, como qualquer negócio que visa lucros.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
19 dias atrás

Aqui no Brasil tá bem parelho! Às vezes passa até mais jogos femininos na TV fechada! E tá muito bom assim

Carlos
Carlos
19 dias atrás

Pode ser que a Ons não esteja errada, no entanto, é necessário olharmos para o atual momento do tênis feminino na Espanha. Tive o cuidado de olhar a chave e notei que das quato tenistas espanholas que estavam jogando, nenhuma delas passou da segunda rodada.

Por outro lado, no tênis masculino, eram nove tenistas na chave principal, dos quais três passaram da segunda rodada.

Não bastasse isso, a Espanha possui atualmente dois ídolos mundiais que arrastam multidões por onde quer que estejam jogando (Nadal e Alcaraz). Ambos ainda vivos no torneio. Portanto, no maior torneio jogado em solo Espanhol, não seria estranho considerar que as lentes estejam voltadas para o masculino.

Quanto aos demais torneios jogados na Europa, não cheguei a fazer qualquer análise, motivo pelo não vou me manifestar.

Walter
Walter
19 dias atrás

O mundo é capitalista. O que manda é o dinheiro. Se tem audiência, transmite. Simples assim.

Daniel Macedo
Daniel Macedo
19 dias atrás

Boa Jabeur! Mais uma vez, excelente.

João
João
19 dias atrás

No país dela as mulheres tem q andar com a cabeça coberta e atrás dos maridos.

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
19 dias atrás

Gostaria de saber se a muçulmana Ons também critica o tratamento das mulheres no Islã, que é um caso muito mais grave. Nesta entrevista, parece que ela não disse nada a respeito. Tendo um problemão deste para resolver dentro da sua casa, parece que ela prefere comentar o mesmo problema, presente numa escala bem menor, na casa dos outros que ela visita. Bem estranho.

Rafael
Rafael
18 dias atrás

Engraçado ano passado ela ganhou o wta de Madrid e não pois isso em questão agora tomou um pau e decidiu criticar o campeonato

trackback

[…] espanhol Feliciano López respondeu às críticas feitas pela tunisiana Ons Jabeur, que afirmou que o evento privilegia os homens e precisa respeitar mais as mulheres. Ele reconheceu que houve erros graves no passado, mas achou injustos os comentários da atual […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE