PLACAR

Hurkacz faz semi inédita no saibro, Ruud também confirma

Foto: ATP Tour

Estoril (Portugal) – Pela primeira vez na carreira, Hubert Hurkacz disputará uma semifinal na elite do circuito em quadras de saibro. Nesta sexta-feira, o polonês número 10 do mundo e cabeça de chave 2 se garantiu na penúltima fase do ATP 250 do Estoril ao superar o espanhol Pablo Ruiz, 152º do ranking e vindo do quali, por 7/6 (7-4) e 6/4 em 1h45 de partida.

Dono de sete títulos no circuito, seis deles no piso duro e outro na grama, Hurkacz nunca tinha ido tão longe em um evento sobre a terra batida. Em 20 campanhas anteriores nesta superfície, seus melhores resultados haviam sido as quartas de final dos Masters 1000 de Monte Carlo e Madri em 2022. Ao todo, ele acumula 25 vitórias e 27 derrotas no saibro.

Esta será a segunda semifinal do jogador de 27 anos na atual temporada, repetindo a campanha no ATP 250 de Marselha, em quadras sintéticas e cobertas. Ele também ajudou a Polônia a chegar ao vice-campeonato da United Cup e fez quartas no Australian Open e no ATP 500 de Dubai. Eliminado nas oitavas de final no Estoril em 2023, ele está somando 90 pontos neste momento e ultrapassando Casper Ruud. Com mais uma vitória em Portugal, tomará também a oitava posição de Grigor Dimitrov, igualando assim seu melhor ranking da carreira.

O adversário de Hurkacz na semifinal será o chileno Cristian Garin, ex-top 20 e atualmente na 112ª colocação da ATP, que derrubou Nuno Borges, último anfitrião vivo no torneio, pelo placar de 6/2 e 7/6 (7-1) em 2h10 de confronto. O duelo será inédito no circuito. Hoje na 112ª posição, Garin poderá voltar ao top 100 se for à final e retornaria ao top 80 em caso de título. Ele já foi o número 17 do mundo em 2021.

O momento mais polêmico do dia aconteceu justamente na partida entre Borges e Garin, quando no sexto game do segundo set o chileno disparou uma bola duvidosa em pleno break-point contra. Apesar de o juiz não cantar a bola fora e o adversário português continuar a jogada, o público local se manifestou, atrapalhando Garin, que na sequência do lance errou sua próxima tacada.

Contrariado, o jogador chileno imediatamente se dirigiu ao árbitro argumentando que falhou devido à influência da torcida. Ao invés de mandar os tenistas repetirem o ponto, o juiz de cadeira deu o ponto a Garin, mudando o rumo da partida e levando Borges e a torcida à loucura.

Após a derrota, o português comentou o ocorrido, responsabilizando o árbitro pelo equívoco. “Saí da quadra sem entender a decisão do árbitro. Ele sabe que cometeu um erro. Não fazia sentido. O ponto não deveria parar porque alguém na multidão grita. Ele [Garin] ouviu algo vindo do público, mas continuamos e ele errou [a próxima bola]. Depois ele me disse que errou porque eu parei. Não é culpa dele, mas ele também não foi bem nessa situação”, declarou.

Do outro lado da chave, a semifinal será composta pelo norueguês Casper Ruud, que confirmou a condição de principal favorito ao bater sem dificuldades o húngaro Marton Fucsovics com o placar de 6/3 e 6/2 em 1h12 de jogo, e pelo espanhol Pedro Martinez, 77º colocado no ranking, que bateu o veterano francês Richard Gasquet com um duplo 6/4 após 1h45 de partida.

Atual campeão do torneio, o norueguês de 25 anos está momentaneamente perdendo a nona colocação do ranking para Hurkacz e só poderá recuperar o posto de volta ser for campeão e o polonês não avançar à final. Já Pedro Martinez está ganhando provisoriamente 11 posições, subindo do 77º para o 66º lugar. Ele será o 60º se chegar à final e pode alcançar a 51ª colocação em caso de título. Sua melhor marca foi a 40ª em 2022.

 

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE