PLACAR

Gauff consegue virada dramática e estreia bem

Foto: Garrett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) – Depois de conquistar os dois maiores títulos da carreira, em Washington e Cincinnati, e de chegar ao US Open cercada de muita expectativa, Coco Gauff estreou em Nova York com uma partida muito difícil. Agora com o melhor ranking da carreira, na sexta posição, ela precisou de três sets e 2h50 para vencer a alemã vinda do quali Laura Siegemund por 3/6, 6/2 e 6/4.

Apesar de ter apenas 19 anos, Gauff já faz sua quinta aparição no US Open e a 17ª em Grand Slam. Ano passado, a jovem norte-americana fez sua melhor campanha em Nova York, quando chegou às quartas. Mas sua melhor campanha em Slam foi o vice de Roland Garros na última temporada.

Superada por Gauff nesta segunda-feira à noite, Siegemund está com 35 anos e já esteve entre as 30 melhores do mundo em simples. Nos últimos anos, tem conseguido maior sucesso nas duplas, especialmente ao lado da russa Vera Zvonareva. Juntas, elas conquistaram o US Open em 2020, e recentemente foram campeãs em Washington. Atual 121ª do ranking, Siegemund furou o quali do US Open.

A próxima rival de Gauff em Nova York será ainda mais jovem. Ela enfrenta a russa de 16 anos Mirra Andreeva, 63ª do ranking, que derrotou a australiana vinda do quali Olivia Gadecki por 1/6, 6/3 e 6/4. A norte-americana já venceu Andreeva este ano, na terceira rodada de Roland Garros.

Durante o primeiro set, Siegemund usou de suas variações de altura e peso de bola, além de ser muito eficiente nas subidas à rede. Foram 13 tentativas, com 10 pontos. Ela fez quase o dobro de winners, 13 a 7, e cometeu 9 erros contra 11 de Gauff.

A segunda parcial começou com um game de 26 minutos, com Gauff precisando de oito break-points para finalmente conseguir a quebra. Em um desses pontos, Siegemund se salvou com saque e voleio.

A partida foi ficando dramática pelo ambiente da torcida no Arthur Ashe Stadium e por pontos incríveis disputados junto à rede. A atuação da árbitra de cadeira desagradava a torcida e a jogadora da casa, que reclamavam da demora da alemã para sacar ou ficar pronta para devolver os serviços. Gauff fechou o segundo set e logo depois Siegemund foi ao vestiário.

Só no terceiro set, a alemã recebeu uma advertência por violar o relógio de saque. A norte-americana assumiu o controle da partida. E o evidente desgaste de Siegemund fazia com que ela chegasse atrasada nas bolas e cometesse mais erros. A alemã chegou a ser punida com a perda de um ponto pela demora em reiniciar o jogo e a número 6 do mundo abriu 5/1. Gauff não aproveitou a primeira chance de sacar para o jogo com três duplas faltas, mas a vantagem construída no início do set possibilitou que ela enfim definisse a disputa.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE