PLACAR

Fonseca busca virada, é campeão e vira número 1

Foto: Pete Staples/USTA

Nova York (EUA) – No duelo direto que valia não apenas o título juvenil do US Open, mas também a liderança do ranking da ITF, o carioca João Fonseca saiu perdendo para o tenista da casa Learner Tien, mas mostrou força de vontade e buscou uma grande virada, batendo o norte-americano com parciais de 4/6, 6/4 e 6/3, depois de 1h57 de batalha.

Ocupando no momento o 650º lugar no ranking da ATP, Fonseca será o novo número 1 do ranking juvenil da ITF aos 17 anos de idade. Ele se tornou o terceiro brasileiro campeão de Grand Slam juvenil em simples, seguindo o alagoano Tiago Fernandes na Austrália em 2010 e o paranaense Thiago Wild no US Open de 2018.

Embora Tien estivesse jogando em casa, a torcida brasileira fez bastante barulho e Fonseca teve até mais apoio das arquibancadas do que o rival. Isso o ajudou bastante nos momentos complicados, principalmente após perder o primeiro set, no qual teve chance de sair na frente com um break-point no sexto game, mas acabou sendo quebrado no nono e em seguida viu o tenista dacasa fechar.

A situação se complicou ainda mais na largada da segunda parcial em que Tien abriu 2/0 com um break logo no primeiro game. João buscou o empate por 2/2, amargou nova quebra e devolveu de novo para deixar tudo igual em 3/3. No décimo game, ele bateu o saque do norte-americano pela terceira vez no set e assim conseguiu empatar a partida.

Bem mais agressivo que o norte-americano, Fonseca cometeu erros no começo do terceiro set e outra vez perdeu os dois primeiros games. Só que de novo ele teve forças para se recuperar, conseguindo uma incrível arrancada, vencendo cinco games seguidos para fazer 5/2. Ele então administrou a vantagem até o final e comemorou seu primeiro título de Grand Slam.

Os estilos bem diferentes de estilo dos finalistas fica bem claro ao olharmos os números da partida. Correndo bem mais riscos, o carioca anotou 40 winners e 62 erros não forçados. Enquanto isso, do outro lado Tien teve apenas 10 bolas vencedoras e 28 erros não forçados. Um diferencial para Fonseca foi o desempenho nos break-points, convertendo metade dos 10 que teve e salvando 11 em 15 que encarou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE