PLACAR

Djokovic destaca maturidade e alto nível de Alcaraz

Foto: AELTC

Londres (Inglaterra) – Depois de perder uma equilibrada final de cinco sets em Wimbledon, Novak Djokovic destacou a maturidade e o jogo completo de Carlos Alcaraz. O sérvio enalteceu a grande partida do espanhol, que conseguiu controlar as emoções para conquistar o segundo título de Grand Slam da carreira neste domingo e manter assim a liderança do ranking mundial.

“Acho que as pessoas têm falado nos últimos 12 meses sobre o jogo dele, consistindo em certos elementos de Roger, Rafa e meus. Eu concordaria com isso. Acho que ele tem o melhor dos três mundos”, disse Djokovic, após a derrota por 1/6, 7/6 (8-6), 6/1, 3/6 e 6/4 para Alcaraz em 4h43 de partida.

“Ele tem muita resiliência mental e maturidade para alguém de 20 anos. É impressionante. Ele tem essa competitividade e espírito de luta dos espanhóis, que vimos com Rafa ao longo dos anos. E acho que ele tem algumas semelhanças com o meu backhand de duas mãos. É um dos meus pontos fortes há muitos anos. E ele também tem”, acrescentou o sérvio, que buscava o oitavo título de Wimbledon e o 24º Grand Slam.

“Ele teve um equilíbrio incrível nos momentos importantes. Para alguém da idade dele, é incrível vê-lo lidar com os nervos assim, jogando um tênis agressivo e fechando a partida do jeito que ele fez. Acho que devolvi muito bem no último game, mas ele estava apenas fazendo golpes incríveis”, ponderou o veterano de 36 anos.

“Eu nunca enfrentei um jogador como ele, para ser honesto. Roger e Rafa têm suas próprias forças e fraquezas. Carlos é um jogador muito completo. É incrível sua capacidade de adaptação. Essa é a chave para a longevidade e para uma carreira de sucesso em todas as superfícies”, complementou o ex-líder do ranking, que não perdia um jogo em Wimbledon desde 2017 e estava invicto na Quadra Central desde a final de 2013.

Foi oterceiro duelo entre Djokovic e Alcaraz no circuito, agora com 2 a 1 para o espanhol no histórico de confrontos. “Não sei quanto tempo estarei por aqui. Fizemos apenas três partidas um contra o outro e todas foram muito equilibradas. Espero que possamos nos enfrentar no US Open também. Acho que é bom para o esporte, os números 1 e 2 no mundo se enfrentando por quase cinco horas e cinco sets. Não poderia ser melhor para o nosso esporte em geral”.

Tiebreak do segundo set foi decisivo
Perguntado sobre o que o fez perder o jogo, o sérvio destacou as oportunidades perdidas na segunda parcial. Ele teve um set-point e cometeu dois erros não-forçados com o backhand, antes de Alcaraz conseguir fechar o set com um winner de devolução.

“Eu diria que o tiebreak no segundo set foi crucial. Aqueles dois backhands me decepcionaram, para ser honesto. No set-point, ele jogou uma bola que muito profunda e que teve um quique um pouco ruim. Mas eu não deveria ter errado aquele golpe. Ali no 6/6, errei outro backhand. E foi isso. A partida mudou para o lado dele. Ele subiu muito de nível no terceiro set e virou o jogo. Eu não fui eu mesmo por um bom tempo”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE