PLACAR

Dimitrov: “Não consigo expressar o que isso significa”

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Paris (França) – Seis anos após sua última conquista, o búlgaro Grigor Dimitrov vai buscar na final do Masters 1000 de Paris acabar com um longo jejum de títulos. Neste sábado, ele mostrou um grande tênis para bater o grego Stefanos Tsitsipas na semifinal e garantir o duelo com o sérvio Novak Djokovic na decisão de domingo às 11h (horário de Brasília).

“Não consigo expressar o que significa para mim este sucesso, só posso dizer que estou muito feliz. As coisas foram muito complicadas e conseguir vencer esta partida é impressionante. Estou me divertindo muito agora, aproveito ao máximo o que está acontecendo e cada vitória significa muito para mim. Aproveito cada minuto que estou em quadra”, comentou o búlgaro.

Dimitrov começou muito bem, mas viu Tsitsipas crescer no decorrer da partida e teve trabalho para sair com a vitória. “Em todos os momentos da partida senti que estava fazendo as coisas bem, mas no meio do segundo set ele conseguiu elevar o nível. Foi difícil administrar essa mudança. O segredo foi continuar acreditando nas minhas possibilidades”, analisou o tenista de 32 anos.

“Soube manter o foco em todos os momentos e tentava propor coisas a cada bola que batia. Aproveitei as oportunidades contra um excelente tenista como Tsitsipas e consegui fazer com que os pontos-chave acontecessem como eu queria”, falou o búlgaro, que depois de ser dominado no tiebreak do segundo set, fez o oposto e foi muito bem no desempate do terceiro.

O búlgaro acredita que a temporada asiática serviu como ponto de virada. “Tenho jogado bem durante todo o ano, mas lá gostei muito do que fiz em cada jogo, voltei a ser um jogador que procura as coisas e não fica esperando pelos erros dos adversários. Meu objetivo é ganhar ou perder nos meus próprios termos, ultimamente consigo controlar melhor minhas emoções e ter a atitude certa”, finalizou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE