PLACAR

Confiante, Sinner tenta a 1ª vitória contra Medvedev

Foto: China Open

Pequim (China) – Finalista do ATP 500 de Pequim, Jannik Sinner chega confiante para a decisão do torneio na capital chinesa. O italiano eliminou o principal cabeça de chave Carlos Alcaraz nesta terça-feira, marcando sua quarta vitória em sete jogos contra o espanhol. Ele agora busca uma vitória inédita contra Daniil Medvedev. O russo venceu os seis duelos anteriores entre eles, inclusive nas finais de Roterdã e Miami na atual temporada. O reencontro será às 8h30 (de Brasília).

“Hoje foi uma das melhores que disputei”, disse Sinner após vencer Alcaraz por 7/6 (7-4) e 6/1. “Eu diria que cada partida contra ele é muito difícil. Sempre demonstramos muito respeito e quando jogamos um contra o outro, tentamos nos manter nos nossos limites”.

“Hoje joguei um pouco melhor nos momentos importantes. No segundo set, mesmo sendo 6/1, ele teve muitas chances e eu apenas tentei manter o foco. Obviamente estou muito feliz com o desempenho”, acrescenta o jovem italiano de 21 anos, que tem oito títulos de ATP, dois deles em 2023.

Atual sétimo colocado no ranking, Sinner entrará no top 4 a partir da próxima semana e falou sobre o plano de jogo adotado na semifinal. “Acho que a execução correu muito bem. Tentei permanecer agressivo, porque quando ele tem muito tempo, consegue ser muito agressivo, mandar nos pontos e jogar muito bem”.

Já Medvedev é o número 3 do mundo aos 27 anos e busca o 21º título da carreira e o sexto da temporada. O russo vem de vitória por 6/4 e 6/3 contra o alemão Alexander Zverev nesta terça. Foi sua décima vitória em 17 jogos contra o rival.

“Estou muito feliz com meu nível. Jogamos com o teto fechado e em condições diferentes hoje, muito mais rápido. Nós dois somos grandes sacadores, então foram poucas oportunidades, mas consegui sacar melhor quando tinha break-points para salvar do que ele fez. Esta é uma chave muito forte, então é ótimo estar na final contra o Sinner”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE