PLACAR

Becker retruca Kyrgios em bate-boca virtual

Foto: Eurosport

Munique (Alemanha) – O alemão Boris Becker não gostou de ser citado por Nick Kyrgios numa comparação feita pelo polêmico australiano entre as gerações do tênis profissional masculino.

Kyrgios afirmou que o tênis “era muito lento” antes e citou o tricampeão de Wimbledon. “Assisti Boris Becker e não quero dizer que eles não fossem bons em suas épocas, mas dizer que eles seriam bons hoje é um absurdo”, deixando entender que tudo se limitava ao saque.

Becker respondeu no próprio Twitter. “Nick tem feito muito barulho, mas por que ele fala de um esporte que aparentemente detesta?”, afirmou logo de início. “O fato é que Nick jamais ganhou um Grand Slam como tenista ou técnico (ah, um de duplas), então qual a credibilidade vindo dele? Tentando comparar gerações… Laver contra Federer”.

A resposta do australiano foi imediata. “Derrotei Federer, Nadal, Djokovic, Murray, então acho que tenho uma pequena credibilidade…”, ironizou. “Mas não é preciso ser um cientista para ver que Novak o varreria da quadra no seu auge? Não é um ataque, é um fato”.

Outro grande mencionado recentemente por Kyrgios foi Pete Sampras. Ele também afirmou que o norte-americano seria atropelado por Djokovic se houvesse um duelo direto.

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo
Paulo
2 meses atrás

Eu quero e mais kkkkk. As férias não tem se mostrado movimentadas. Boa Nick. Da um pouco de agito p gte

Flavio
Flavio
2 meses atrás

Em esporte nenhum se compara gerações, o ser humano e materiais esportivos evoluem ano apos ano. ninguem vai saber como seria Pele jogando com uma bola, chuteiras e preparanção fisica de hoje, ou como seria Nole, Federer e Nadal jogando com raquetes e preparação fisica e recuperação de antigamente.

Joselito
Joselito
2 meses atrás
Responder para  Flavio

Acredito que dê para comparar gerações de um mesmo esporte desde que o número de praticantes que vivem do esporte e os principais indicadores do jogo sejam equivalente próximos entre as gerações.
Nesse sentido, talvez seja possível comparar essa geração atual do tênis com a da década de 2050 e 2100. Não acredito que até lá vai surgir alguém que saque regularmente a 250 km/h ou que corra duas vezes mais que os atuais jogadores.
Mas acho muito difícil comparar Pelé com Messi ou Cristiano Ronaldo. O nível de profissionalismo é totalmente diferente. Como Pelé se sairia com jogadores que correm 11km durante uma partida, sendo que na sua época corriam 5km. São condições totalmente diferentes. Significa que Pelé teria metade do espaço que teria na sua época.

Nei Costa
Nei Costa
2 meses atrás
Responder para  Flavio

Não há tanta distância entre Djokovic e Sampras, então é plenamente possível conjecturar. Agora, com um atleta de 40, 50 anos atrás e mais complicado. Penso que ambos são muito sólidos e competentes, mas ,para mim, Djokovic tem a seu favor a adaptação rápida aos jeito de jogar de seu oponente. Não por acaso vira tantas partidas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE