PLACAR

Baez deslancha, aplica “pneu” e busca sua maior conquista

Sebastian Baez (Foto: Fotojump)

Rio de Janeiro (RJ) – No duelo todo argentino que abriu as semifinais do Rio Open neste sábado, o cabeça de chave 5 Sebastian Baez levou a melhor sobre o quarto favorito Francisco Cerúndolo em sets diretos, batendo o compatriota em 1h24, com o placar final de 7/5 e 6/0.

Depois de vencer sua primeira semi acima de ATP 250, Baez vai agora em busca da maior conquista da carreira. Ele espera pelo vencedor da segunda partida do dia, que terá de um lado o compatriota Mariano Navone, vindo do quali, e do outro o britânico Cameron Norrie, atual campeão.

Os dois argentinos se enfrentaram pela quinta vez, com Baez levando a melhor no retrospecto total. Ele soma agora três vitórias, uma em ATP e outras duas em challenger, contra uma vitória de Cerúndolo em challenger e uma em ATP.

A partida começou bastante equilibrada, teve uma quebra para cada lado entre o terceiro e quarto games e depois três set-points para Cerúndolo no décimo, quando o rival saiu de 15-40 para confirmar e fazer 5/5. Baez aproveitou o embalo, quebrou em seguida e então sacou para fechar a parcial.

Baez embalou de vez no segundo set, começou com quebra e então saiu de 0-40 para fazer 2/0. A partir de então só deu o atual 30 do mundo, que conseguiu mais duas quebras seguidas, fechou o jogo com um “pneu” e acabou faturando os últimos oito games da partida.

A queda de Cerúndolo no segundo set ficou evidente com o aproveitamento de saque. Embora tenha até aumentado a porcentagem de primeiros serviços em quadra de 66% para 71%, seu desempenho despencou de 55% para apenas 33%.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

Os argentinos são os melhores saibreros da América do Sul! Não tem pra eles não!

Vinícius
Vinícius
1 mês atrás

A Argentina no tênis é foda!!! Vamos aplaudir uma final de ATP 500 na nossa casa só com os caras. Parabéns

Aloisio Aguiar
Aloisio Aguiar
1 mês atrás

Nessa disputa estamos perdendo em quase tudo. Cultura, futebol, tenis, …. Sobrou economia, para nossos empresários, não para o povo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE