PLACAR

Argentinos salvam match-point e faturam Cincinnati

Foto: Western & Southern Open

Cincinnati (EUA) – Pela segunda vez em dois dias, os argentinos Maximo Gonzalez e Andres Molteni saíram do buraco para conquistar a vitória. Na final deste domingo, eles bateram o britânico Jamie Murray e o neozelandês Michael Venus de virada, com parciais de 3/6, 6/1 e 11-9, salvando um match-point para conquistar o título do Masters 1000 de Cincinnati.

Os argentinos salvaram também dois match-points na semifinal contra o croata Ivan Dodig e o tenista da casa Austin Krajicek, cabeças de chave número 2. Esta foi o quinto título da parceria no ano e o maior da carreira de ambos. Gonzalez tem agora 17 conquistas nas duplas e Molteni uma a menos. Seis dessas foram jogando juntos.

Molteni comemorou bastante a grande conquista em Cincinnati. “Significa muito. Trabalhamos muito duro por muitos anos, não só nesta temporada, então é uma grande conquista. Foi uma semana muito dura, chegamos na final, e estamos muito contentes com este título. É o maior título que já conquistamos, então estamos muito felizes”, comemorou o argentino.

“Eles começaram melhor do que nós, mas sempre lutamos. Nós nos conhecemos, sabemos que somos uma equipe que luta por cada bola. Sabíamos que teríamos uma chance e a aproveitamos no segundo set. Estamos acostumados a jogar match-tiebreaks e estamos muito, muito felizes por este título”, complementou Gonzalez.

Gonzalez, em particular, se deu bem sob pressão na final. O jogador de 40 anos acertou um ace de segundo saque ao enfrentar o match-point em 8-9 no match-tiebreak e dois pontos depois ele marcou o ponto que lhes deu a vitória em uma devolução de saque de Venus. Esta foi a quinta vitória dos argentinos em cinco finais neste ano.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE