PLACAR

Alcaraz: “Simplesmente não me senti bem na quadra”

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Paris (França) – Durou pouco a participação do espanhol Carlos Alcaraz no Masters 1000 de Paris, sendo surpreendido logo na estreia. Na última terça-feira, o cabeça de chave número 2 do torneio perdeu para o russo Roman Safiullin, 45º do ranking, com parciais de 6/3 e 6/4. Após a eliminação, ele falou com a imprensa, lamentou o desempenho ruim em quadra e garantiu que não foi por causa de problema físico.

“Foi tudo mental, não tive nenhum problema físico. Eu simplesmente não me senti bem na quadra. Tenho muitas coisas para melhorar, muitas coisas para treinar e não me sinto bem com meu jogo. Eu não me movi bem. Quanto aos acertos, acho que houve boa qualidade. Mas fisicamente, na parte de movimentação, tenho que melhorar muito”, analisou o jovem espanhol

“Estou decepcionado com o nível que demonstrei hoje. Esperava dar mais em quadra e como digo, tenho muito a melhorar. Meu tênis exige um alto nível físico, mas me faltou muita velocidade. Eu me senti muito lento. Em dias como este tudo fica mais difícil porque perdi na primeira rodada de um torneio onde esperava chegar à fase final. Isto dói”, acrescentou Alcaraz.

O número 2 do mundo não escondeu o descontentamento e ainda tenta processar a derrota para focar na volta por cima e tentar jogar melhor no ATP Finals. “Hoje é um dos poucos dias em que não quero pensar no amanhã, no treino, mas não tem outra opção, temos que fazer isso. Essa derrota dói muito”, comentou o espanhol.

“Tenho tempo antes do ATP Finals, muitos dias para treinar, para poder chegar ao nível que quero jogar. Não estou aqui para falar sobre isso agora. Sinceramente, depois da derrota preciso de um tempo antes de pensar nos próximos dias. Mas, obviamente, temos tempo antes do início do ATP Finals”, observou Alcaraz.

Em sua terceira participação no Masters 1000 de Paris, Alcaraz nunca conseguiu ir muito longe e sua melhor campanha no torneio foi chegar às quartas de final no ano passado, acumulando agora quatro vitórias em três derrotas no Palácio de Bercy.

“A temporada é muito longa, o que provavelmente afeta o meu jogo, mas não sei. Acho que este torneio tem muitas surpresas. Talvez seja porque é o fim da temporada, mas falando de mim, não sei. Tenho que encontrar uma maneira no futuro de ter um bom desempenho durante esta parte da temporada”, finalizou o vice-líder da ATP.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE