Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Halep avança à 3ª fase e encerra carreira de Flipkens
30/06/2022 às 15h24

Após a partida, Halep participou das homenagens a Flipkens

Foto: AELTC

Londres (Inglaterra) - A quadra Nº 2 do All England Club recebeu nesta quinta-feira o último jogo da carreira profissional de Kirsten Flipkens, experiente belga de 36 anos que havia escolhido Wimbledon para se despedir do circuito. Flipkens chegou a vencer a estreia contra a australiana Jaimee Fourlis, mas caiu na segunda rodada diante da ex-número 1 do mundo Simona Halep. Campeã de Wimbledon em 2019, a romena confirmou o favoritismo e venceu por 7/5 e 6/4. Após a partida, a belga recebeu justas homenagens.

"Estou muito emocionada pela minha despedida. Poder encerrar a minha carreira contra uma campeã contra a Simona e em uma quadra como esta é um sonho realizado", disse Flipkens, que chegou a ser número 13 do mundo e aparecia no momento no 190º lugar do ranking mundial. A partida foi acompanhada de perto pela multicampeã Kim Clijsters, que assistiu das arquibancadas.

"Quando vim para cá pela primeira vez, Kim Clijsters estava no auge. Eu fui campeã juvenil aqui em 2003, semifinalista em 2013. Sempre foi muito especial e estou muito feliz por me despedir aqui. Sobre o futuro? O que eu faço? Ainda tenho a dupla amanhã, mas provavelmente irei para Ibiza depois do torneio", complementou a belga, que ainda está inscrita nas duplas, ao lado da espanhola Sara Sorribes.

Flipkens tem um título de WTA em simples, conquistado em Quebec, no ano de 2012, e disputou quatro finais. Nas duplas, conquistou cinco títulos e tem oito vices. Considerando todos os níveis de competição no circuito, acumulou 542 vitórias e 400 derrotas, e uma premiação total dinheiro superior a US$ 5,9 milhões.

Halep, que superou Flipkens pela sexta vez na carreira, também discursou sobre a colega de circuito. "Hoje não é dia de falar de mim, é dia de falar dela. Estou muito feliz por ter jogado a última partida dela. Já havíamos conversado sobre isso em Dubai, e hoje foi ainda mais emocionante".

"Ela é uma campeã, aprendi muito com ela, já jogamos várias vezes uma contra a outra. Antes da partida, eu estava tremendo. Meu técnico pode confirmar. É sempre difícil jogar contra ela, porque ela corta o ritmo e nunca desiste. Tenho que parabenizá-la pela grande carreira no tênis, desejo boa sorte, primeiro nas férias e depois no que vier no futuro", acrescentou a romena, que agora enfrenta a polonesa Magdalena Frech, que bateu a eslovaca Anna Schmiedlova por duplo 6/4.

Comentários