Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Djokovic chega à terceira rodada pela 13ª vez seguida
29/06/2022 às 11h38

Londres (Inglaterra) - Depois de dar um pequeno susto em sua estreia em Wimbledon, cedendo um set para o sul-coreano Soonwoo Kwon, nesta quarta-feira, o sérvio Novak Djokovic foi muito mais firme e não deu chances para o australiano Thanasi Kokkinakis, que pouco conseguiu fazer diante do cabeça de chave número 1 e acabou eliminado em sets diretos, com o placar final de 6/1, 6/4 e 6/2, em 2h01 de confronto.

Classificado pela 13ª vez consecutiva para a terceira rodada, 'Nole' tem a segunda maior sequência do torneio neste quesito desde a Era Aberta, atrás apenas do norte-americano Jimmy Connors, que chegou 14 vezes seguidas na terceira fase, entre os anos de 1972 e 1985. Seu próximo rival o compatriota Miomir Kecmanovic, cabeça de chave 25, que derrotou o chileno Alejandro Tabilo por 3 sets a 1, com placar final de 7/6 (7-4), 7/6 (7-3), 3/6 e 6/3.

Apenas uma vez na carreira que o sérvio não passou da segunda fase no All England Cub, em 2008, quando o russo Marat Safin, então 75 do mundo, foi seu algoz nessa rodada. Esta derrota também é a pior de Djokovic na competição em relação ao ranking do rival, nunca tendo sido superado por um oponente de tão baixa colocação.

Em busca de sua sétima conquista em Wimbledon, Nole tem já sete títulos na grama. Além das seis taças levantadas no Slam britânico, ele também sagrou-se campeão do ATP de Eastbourne em 2017, derrotando o francês Gael Monfils na final. Ao todo, são 87 títulos para o tenista de Belgrado, 61 deles em quadras duras e mais 17 no saibro.

Derrotado por Djokovic na única vez que se cruzaram no circuito, em 2015 pela terceira rodada de Roland Garros, mais uma vez Kokkinakis foi superado em sets diretos. Com este resultado, Lleyton Hewitt continua sendo o único australiano a derrotar o sérvio em Grand Slam, com uma vitória na terceira rodada do US Open de 2006. Ao todo, o tenista de Belgrado tem 24 vitórias e 4 derrotas no circuito contra australianos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Wimbledon (@wimbledon)



Muito consistente com o saque, Djokovic dominou o primeiro set, venceu 80% dos pontos de serviço, não encarou um break-point sequer contra e ainda cometeu somente cinco erros não forçados. O grande desempenho se refletiu no placar, com o sérvio anotando três quebras em cinco oportunidades para fazer 6/1 e largar na frente de Kokkinakis, que teve aproveitamento de apenas 43% com o saque.

O australiano subiu de nível para o segundo set, venceu 63% dos pontos de serviço e impôs um pouco mais de resistência, porém não o suficiente para complicar Novak do outro lado. O sérvio manteve o ótimo aproveitamento de serviço e o baixo número de erros não forçados, que nesta parcial foram apenas três, precisando de apenas uma brecha para ampliar o placar. Ela veio no terceiro game, quando Kokkinakis encarou dois break-points, salvou o primeiro, mas não o segundo.

Djokovic manteve o jogo de poucos erros e grande consistência na terceira parcial, que não poderia começar melhor para ele, com uma quebra logo no primeiro game. Kokkinakis ainda amargou mais uma break contra e foi batido sem criar grande dificuldade. O sérvio terminou a partida com só 14 erros não forçados e 29 bolas vencedoras, contra 23 erros do australiano e 31 winners.

Comentários