Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Nadal: 'Condição das mais lentas que já joguei aqui'
03/06/2022 às 16h40

Paris (França) - Finalista de Roland Garros pela 14ª vez, o espanhol Rafael Nadal não poderia começar sua entrevista coletiva que não falando sobre o lance envolvendo o alemão Alexander Zverev, que torceu o tornozelo na reta final do segundo set e depois não conseguiu mais continuar em quadra, abandonando a partida e deixando a vaga na decisão nas mãos do canhoto de Mallorca.

“Não é fácil falar depois do que aconteceu. A única coisa que posso dizer é que espero que não seja tão grave. Espero que seja apenas algo mais normal de quando você vira o tornozelo e que não haja nada quebrado”, falou Rafam que garantiu não ser por causa da quadra que Zverev torceu o tornozelo. “Foi um acidente, um momento de azar que às vezes acontece em todas as superfícies”, afirmou.

Ao analisar os quase dois duríssimos sets que teve pela frente contra o germânico, Nadal enalteceu o rival. “Foi um jogo muito difícil. Acho que ele começou a partida jogando de uma forma incrível. Sei o quanto significa para ele tentar ganhar seu primeiro Grand Slam. Foi um milagre eu ter vencido o primeiro set, mas estava lá lutando e tentando encontrar soluções o tempo todo”, disse o espanhol.

Rafa também salientou que o tempo úmido deixou a quadra em condição que não é das mais agradáveis para ele. “A condição das mais lentas que joguei há muito tempo aqui, porque estava muito úmido e com isso a bola fica super grande e difícil de criar spin. Não foram as ideais para mim nesta tarde, nem do jeito que gosto de jogar normalmente aqui. Por isso não consegui causar o dano que queria”, observou.

“Zverev sentiu que minha bola não estava com a potência normal tanto contra seu forehand como contra seu backhand. Com essas condições, não conseguia empurrá-lo para trás. Ele era capaz de acertar uma bola limpa o tempo todo, então eu estava sobrevivendo em quadra, foram muitos momentos de sobrevivência”, complementou o canhoto de Mallorca.

Questionado sobre sua condição física, ele garantiu que está bem e que não é um problema. “Expliquei tudo que me passou pela cabeça depois de Roma e nada mudou. Não estava muito positivo depois disso em relação ao meu pé, mas estava certo de que poderia jogar aqui. Apesar de todos os sacrifícios e todas as coisas que eu preciso passar, estou curtindo meus momentos neste torneio”, comentou Nadal

O espanhol também falou que tem coisas a provar quase todos os dias, mas que seu foco principal não é este e sim manter o prazer de jogar tênis. “Não é sobre coisas que você precisa provar, é sobre o quanto você gosta de fazer o que está fazendo. Se gosto de jogar tênis e consigo continuar jogando, continuo porque adoro o que faço. Então é isso”, finalizou o 21 vezes campeão de Grand Slam.

Comentários