Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Matos: 'Podemos competir contra qualquer dupla'
29/05/2022 às 13h31
Matheus Fonseca, de Paris
Especial para TenisBrasil

Embalados com quatro finais nos últimos cinco torneios disputados, com títulos no ATP 250 de Marrakech e no challenger de Bordeaux, o gaúcho Rafael Matos e o espanhol Davi Vega Hernandez se classificaram neste domingo para as quartas de final de Roland Garros. A vitória num duríssimo duelo contra os belgas Joran Vliegen e Sander Gille trouxe bastante confiança para o brasileiro.

Em entrevista pós-jogo para TenisBrasil, em Paris, Matos projetou o duelo da próxima fase contra o holandês Jean-Julien Rojer e o salvadorenho Marcelo Arevalo, e demonstrou saber o que é preciso para vencer mais uma no Grand Slam francês.

“Nunca joguei contra nenhum dos dois, então precisamos fazer o dever de casa, estudar um pouquinho sobre cada um e, o mais importante, é sempre focar na maneira como entramos em quadra, porque no saibro e do jeito que estamos bem e confiantes no nosso jogo podemos ser competitivos contra qualquer dupla”, afirmou.

Análise da partida
Sobre o jogo de oitavas de final, Matos entende que foi fundamental manter a energia positiva, mesmo com boa parte da torcida contra, e não deixar os adversários quebrarem seu serviço.

“Hoje foi muito duro, um dia de muitas emoções, em uma quadra maior do que as outras que jogamos na semana e com o público fazendo muito barulho. No primeiro set a gente jogou muito bem, mas nas outras parciais eles passaram a sacar melhor, sem nos dar muitas chances. Acabamos bobeando, entregando bolas que normalmente não erramos, e eles aproveitaram para fechar o segundo set. No terceiro foi muito importante termos conseguido manter nosso saque e no match tie-break continuamos firmes para reverter o 3 a 1 contra e vencer o jogo”, frisou.

Parceria com Vega quase não aconteceu
Apesar da ótima fase que vive a dupla do brasileiro com o espanhol, essa parceria, que foi iniciada há dois meses, acabou se fortalecendo quase por acaso. “Começamos a jogar juntos entre o final de março e início de abril e no primeiro torneio caímos na primeira rodada em um Challenger. Na semana seguinte eu iria jogar com o [Sebastian] Baez, mas ele se machucou, eu entrei com o Vega e ganhamos o ATP 250 de Marrakech. Depois daí passamos a nos conhecer melhor e tivemos uma conexão bem forte dentro e fora da quadra”, explica o gaúcho.

Entrada no top 50
Com a campanha na capital francesa, Rafael Matos já tem garantida sua estreia entre os 50 melhores do mundo no ranking de duplas, algo que ele projetava atingir até o fim de 2022. “No ano passado eu tinha o objetivo de virar top 70 e para essa temporada a meta era entrar no top 50. Conseguimos fazer isso antes mesmo da metade do ano, então agora é focar em Roland Garros e depois que terminar o torneio eu vejo quais os próximos passos com a minha equipe”, disse.

Comentários