Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Iga se sente mais calma e recebe conselho de Nadal
22/05/2022 às 18h48

Para Nadal, a número 1 do mundo precisa jogar mais relaxada e sem pressão por resultados

Foto: Divulgação

Paris (França) - Invicta há 28 jogos no circuito e vencedora dos últimos cinco torneios que disputou, Iga Swiatek joga seu primeiro Grand Slam desde que se tornou a número 1 do mundo. A polonesa de 20 anos tenta reconquistar o troféu de Roland Garros depois de duas temporadas e se sente mais calma e relaxada. Ela acredita que o domínio do circuito nas últimas semanas, com títulos em Doha, Indian Wells, Miami, Stuttgart e Roma provou para ela mesma e para os outros de que é digna da posição que ocupa.

"Estou mais relaxada. Não sei se ficarei mais nervosa na hora do jogo, mas vamos ver. Vou mantê-los atualizados. Mas estou mais relaxada, porque tenho muitos pontos e sinto que trabalhei muito para estar na minha posição na WT. E talvez eu tenha provado para mim mesma e para outras pessoas que eu posso estar no topo. Antes eu não estava sentindo tanta confiança, então este ano eu sinto muito mais paz", disse Swiatek, que estreia nesta segunda-feira, às 6h (de Brasília) contra a ucraniana Lesia Tsurenko.

"Não joguei um Grand Slam desde que essa sequência de vitórias começou. Vamos ver se tudo o que tenho feito antes será suficiente. Mas tenho pensamentos muito positivos. Honestamente, algumas vezes durante todos esses torneios eu já estava estressada com isso, e consegui trabalhar com isso e fazer um trabalho muito bom apenas focando no tênis. Então, espero que eu seja capaz de continuar assim", acrescenta a polonesa, que completará 21 anos no final deste mês.

Swiatek também falou sobre sua campanha até a semifinal do Australian Open, em seu primeiro Grand Slam da temporada, quando o foco era melhorar seu estilo de jogo nas quadras duras. "É um capítulo completamente diferente, porque então eu estava apenas focada em melhorar meu jogo em quadras duras, e a semifinal foi uma grande conquista para mim e eu mostrei um jogo bastante sólido".

"Ainda assim, é bom lembrar que tipo de objetivos eu tinha no começo do ano. Agora seria uma loucura dizer que eu só vou ficar feliz se eu ganhar, porque isso não é verdade. Honestamente, uma semifinal de Grand Slam é um ótimo resultado porque você está entre as quatro primeiras. É fácil esquecer isso, mas é bom que eu tenha sempre como me lembrar".

Admiradora declarada de Rafael Nadal, a polonesa tem passado cada vez mais tempo em contato com o espanhol e sua equipe e chegou a treinar na academia de Nadal antes do título em Roma. E na avaliação do vencedor de 21 títulos de Grand Slam, ela precisa jogar com calma e sem uma carga extra pressão pelos resultados.

"Ela está ganhando muito fácil. Isso é especial e muito difícil. Eu a vi jogar algumas partidas e parece que hoje ela está acima das demais", avaliou Nadal em sua entrevista coletiva. "Isso é o que os resultados dizem. Quando alguém como ela está ganhando os torneios com esses resultados é algo especial. Fico feliz por ela. Ela é natural e é jovem. Na primeira vez que ela ganhou aqui, dois anos atrás, foi uma grande surpresa, mas o jeito que ela está jogando este ano parece imparável. Mas vamos deixá-la jogar com calma e sem pressão extra".

Comentários