Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Retornos, ausências e despedida em Roland Garros
19/05/2022 às 10h02
Matheus Fonseca, de Paris
Especial para TenisBrasil

A edição 2022 de Roland Garros começa já neste domingo recheada de expectativas e dúvidas. Enquanto Novak Djokovic e Iga Swiatek aparecem como os principais favoritos nas chaves masculina e feminina, há muitas incertezas quanto às condições físicas de Rafael Nadal, que declarou publicamente, após a eliminação nas oitavas de final em Roma, seu incômodo com a já conhecida lesão crônica no pé esquerdo.

Alheio a todos esses ingredientes, o segundo Grand Slam do ano traz em sua programação uma série de novidades, com retornos, ausências importantes e a despedida de um ídolo local.

Dominic Thiem
Ex-número 3 do mundo e atual 194º do ranking, o austríaco entra no torneio com o ranking protegido. Finalista em Paris nos anos de 2018 e 2019, Thiem jogará um Slam pela primeira vez desde o próprio Roland Garros do ano passado, quando caiu na primeira rodada. Depois disso, só jogou mais um torneio em 2021 e ficou cerca de nove meses parado devido a lesões, adiando seu retorno algumas vezes.

Nesta temporada, o campeão do US Open de 2020 ainda não venceu e já acumula seis derrotas consecutivas. A série negativa é ainda pior se considerados os resultados do ano passado, chegando a dez revezes em sequência. Sua última vitória foi no Masters 1000 de Roma de 2021, contra o húngaro Marton Fucsovics.

Daniil Medvedev
Depois de ficar fora de praticamente toda a preparação para Roland Garros para tratar uma hérnia, o vice-líder do ranking fez seu primeiro jogo do ano no saibro europeu nesta semana e não se deu bem. Eliminado por Richard Gasquet ainda na estreia do ATP 250 de Genebra, Medvedev chegará a Paris sem o ritmo de jogo necessário para um Grand Slam, mas, apesar disso, afirma estar fisicamente bem.

Novak Djokovic
O sérvio número 1 do mundo jogará o seu primeiro Slam desde o vice-campeonato no US Open do ano passado. Depois de toda a polêmica causada em Melbourne, que culminou com a sua deportação e a impossibilidade de disputar o Australian Open, Nole mostrou em Madri e principalmente em Roma que é o grande favorito para conquistar o tricampeonato na França e o 21º título de Grand Slam da carreira.

Bruno Soares
Afastado do circuito desde a queda na estreia no Masters 1000 de Miami para recuperar o corpo depois de contrair influenza na pré-temporada e Covid-19 após o Australian Open, o mineiro Bruno Soares retornou ao circuito nesta semana, no ATP 250 de Genebra, sendo esse o seu único torneio de preparação para Roland Garros.

Apesar da queda na estreia junto ao britânico Jamie Murray, o brasileiro é uma das grandes esperanças do país no saibro parisiense, onde foi vice-campeão em 2020 com o croata Mate Pavic.

Bia Haddad Maia
Vivendo seu melhor momento na carreira, a canhota paulista chega a Roland Garros com nove vitórias nos últimos dez jogos (título no WTA 125 de Saint Melo e vice no WTA 125 de Paris) e um inédito lugar no top 50, com a 49ª posição. Essa será a sua segunda participação na chave principal do Slam francês, tendo sido eliminada na estreia em 2017. É também a primeira vez que Bia volta ao torneio desde 2019, quando caiu na estreia do qualificatório.

Barbora Krejcikova
Quem também retorna em Roland Garros é a atual campeã e número 2 do mundo, que disputará seu primeiro torneio desde fevereiro, quando atuou em Dubai. Nos últimos meses, a tcheca tratou de lesão no cotovelo e tem como melhores resultados na temporada a final do WTA 500 de Sydney e as quartas do Australian Open, onde ela foi campeã nas duplas com a compatriota Katerina Siniakova. As duas também defendem o título em Paris.

Jo-Wilfried Tsonga
Finalista do Australian Open em 2008 e duas vezes semifinalista em Roland Garros (2013 e 2015) e de Wimbledon (2011 e 2012), o ex-top 5 se despedirá do tênis jogando em casa. Ídolo da torcida francesa, Tsonga revelou sua aposentadoria nas redes sociais em abril, devido às constantes lesões e à dificuldade de retomar a melhor forma física aos 37 anos. Sem dúvidas, será atração à parte na programação do torneio.

Ausências
Dentro do top 100 da ATP, ficarão de fora nomes importantes como o top 10 Matteo Berrettini, a estrela local Gael Monfils, o vice-campeão de 2016 Andy Murray, além de Nick Kyrgios, Dominik Koepfer e Jeremy Chardy. No feminino, não jogam as finalistas de 2020 e 2021, Sofia Kenin e Anastasia Plavlyunchenkova, a futura mamãe Elina Svitolina e a vice-campeã olímpica e de Roland Garros-2019 Marketa Vondrousova.

Comentários