Notícias | Dia a dia
Swiatek elogia pausa correta e foco na tática e mental
16/05/2022 às 14h36

Swiatek está feliz por ter sua equipe perto. Daria, a seu lado, cuida da parte mental.

Foto: Site da WTA

Roma (Itália) – Após a conquista do bicampeonato em Roma, derrotando Ons Jabeur por duplo 6/2, Iga Swiatek foi entrevistada pela reportagem do WTA Insider. A pausa para descanso feita em Madri, depois dos títulos em Indian Wells, Miami e Stuttgart, tornou difícil para a polonesa entrar no ritmo de jogo novamente. “A decisão que tomamos em Madri de fazer uma pequena pausa foi muito inteligente, mas eu não estava convencida no início. Então, agora, dou todo o crédito a eles”, disse, referindo-se à sua equipe.

“Além disso, todas a expectativa das pessoas, da mídia ou dos fãs, aumentou um pouco quando me viram no saibro. Então, estou muito feliz por ter minha equipe completa comigo. Daria me ajudou muito mentalmente antes das partidas para me colocar na atitude certa.”

Após a semifinal em Roma, Iga disse acreditar que o céu é o limite, ela sabe que uma hora irá perder, mas não se preocupa com isso. “Simplesmente não penso nisso. Eu honestamente meio que acredito que o céu é o limite e eu posso ir em frente. Esse tipo de atitude de apenas olhar para frente, não pensar no que já aconteceu, realmente me ajudou porque economizei energia ao não fazer isso. Estou bastante orgulhosa de mim.”

Em termos de preparação e recuperação durante o torneio, pouco mudou. “Na parte física, estamos fazendo um trabalho bem parecido. Taticamente, estou me preparando com um pouco mais de cuidado, conversando na noite anterior ao jogo. Antes eu tinha apenas dicas rápidas logo antes do aquecimento. Agora está um pouco mais profissional e estou mais focada nas coisas táticas. Isso é legal. Acho que tudo encaixou com todas as pessoas com quem estou trabalhando.”

Swiatek ruma para Roland Garros como favorita, mas a ideia é fazer as mesmas coisas que antes. “Já enfrentei muita pressão. Então, espero que o tipo diferente de pressão que temos em um Grand Slam não vá me sobrecarregar. Mas estou tentando aceitar que a sequência invicta algum dia vai acabar. É física e mentalmente difícil continuar fazendo o mesmo trabalho toda semana porque também somos humanos. Então, vou tentar tratar o Grand Slam como qualquer outro torneio.” Aproveitando que há um dia de folga entre as partidas, a número 1 do mundo espera poder desfrutar um pouco de Paris, ao contrário do que ocorreu em Roma onde tudo foi muito intenso e ela não pode passear pela cidade.



Falando em curtir, como ela ocupa seu tempo livre? “Livros, com certeza. Estou tentando ler algo que não seja ficção para me educar um pouco mais. Estou assistindo "Gilmore Girls" pela segunda vez. Mas aqui, em Roma, não tivemos tempo para fazer nada além de assistir a um episódio de um programa de TV e ler por 30 minutos. Na maioria das vezes, estava apenas dormindo. Então, em Paris, eu não sei. Adoro ver a cidade, especialmente depois de estar em bolhas no ano passado. E estou gostando um pouco mais disso e tentando ampliar meus horizontes”, disse, antes de se despedir e se deliciar com seu tiramissu.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva