Notícias | Dia a dia
Bia vira, vai à semi e tem tudo para ser top 50
13/05/2022 às 10h44

Paris (França) - Mais uma vez a paulista Beatriz Haddad Maia teve uma partida longa e complicada pela frente e novamente saiu de quadra com a vitória. Nesta sexta-feira, ela se garantiu nas semifinais do WTA 125 de Paris ao bater a francesa Elsa Jacquemot de virada, precisando de 2h47 para vencer a tenista da casa com parciais de 4/6, 6/1 e 6/4.

Atual 52ª do mundo, Bia tem tudo para conseguir entrar no top 50 pela primeira vez na próxima semana. Ela está subindo provisoriamente para o 50º lugar, mas ainda pode ser ultrapassada pela egípcia Mayar Sherif e pela canadense Bianca Andreescu. Caso isso aconteça, ela será a quinta profissional brasileira a atingir o prestigiado grupo, juntando-se a Maria Esther, Niege Dias, Teliana Pereira e Patrícia Medrado.

Cabeça de chave número 3, a paulista enfrentará na próxima fase a romena Ana Bogdan, que nas quartas de final deixou pelo caminho a polonesa Magdalena Frech, oitava pré-classificada, triunfando em sets diretos, com o placar final de 6/2 e 6/4. A brasileira enfrentou Bogdan duas vezes, tendo perdido num future de 2013 e vencido quatro anos depois em Cincinnati.

Bia não teve o melhor dos começos e logo no primeiro game da partida acabou perdendo o saque. Sua situação ficou ainda mais complicada no sétimo game, quando voltou a sofrer uma quebra. A canhota paulista até reagiu e devolveu um dos breaks, mas não conseguiu ir além disso. Jacquemot perdeu quatro set-points no nono game, quando estava na devolução, e logo após sacou para fazer 1 a 0.

A resposta da brasileira não poderia ser mais contundente, com uma excelente largada na segunda parcial. Apesar do susto no primeiro game, em que precisou salvar três break-points, ela deslanchou em seguida e anotou duas quebras consecutivas para fazer 5/0. Depois foi preciso apenas administrar a confortável vantagem para empatar a partida e forçar o terceiro set.

O começo do set decisivo foi favorável para Bia, que faturou os dois primeiros games da disputa. Contudo, a rival francesa devolveu o break e deixou tudo igual em 2/2. Bia teve dois break-points no quinto para retomar a vantagem, mas não aproveitou. No sétimo, foram mais seis chances e desta vez a quebra veio. Então foi apenas confirmar os dois serviços que faltavam para selar a virada.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva