Notícias | Dia a dia
Kalinina bate Raducanu e derruba 3ª campeã de Slam
03/05/2022 às 18h03

Kalinina eliminou Muguruza, Stephens e Raducanu no caminho até as quartas

Foto: Jimmie48/WTA

Madri (Espanha) - Apesar de ter pegado uma chave duríssima no WTA 1000 de Madri, a ucraniana Anhelina Kalinina faz uma campanha notável até as quartas de final. Depois de passar por Sloane Stephens e Garbiñe Muguruza nas fases iniciais do torneio, a jogadora de 25 anos e 37ª do ranking despachou a britânica Emma Raducanu, número 11 do mundo, com parciais de 6/2, 2/6 e 6/4 em 2h19 de partida nesta terça-feira.

Kalinina já eliminou três campeãs de Grand Slam durante o caminho em Madri e faz mais uma boa campanha no circuito. Nas últimas semanas, ela havia alcançado as oitavas de final em Miami e as quartas em Charleston. Pouco antes, em Indian Wells, chegou a tirar um set da atual número 1 Iga Swiatek.

O primeiro set foi de amplo domínio para Kalinina, que conseguiu uma quebra logo no game de abertura e esteve à frente no placar o tempo todo sem enfrentar break-points e com apenas cinco pontos perdidos no saque. Bastante eficiente também nas devoluções, a ucraniana voltaria a quebrar na reta final do set, e terminou a parcial com 13 bolas vencedoras contra apenas quatro de Raducanu.

A campeã do US Open solicitou um atendimento médico fora de quadra no intervalo entre os sets. Na volta, quebrou o serviço da adversária pela primeira vez e fez 2/0. Com um jogo firme do fundo de quadra, Raducanu foi superior durante o segundo set e conseguiria duas novas quebras até o fim da parcial. Apesar da pouca experiência no saibro, a britânica exibia boa movimentação na quadra e elementos mais comuns ao piso em seu jogo, especialmente algumas bolas mais altas, na tentativa de tirar o ritmo da rival.

A parcial decisiva foi a mais equilibrada do jogo, com Kalinina se destacando pela potência de seus golpes com o forehand, sempre batendo reto na bola e buscando a definição dos pontos. A ucraniana foi a primeira a quebrar e fez 3/1, mas Raducanu devolveu a quebra e virou para 4/3. Logo na sequência vieram dois games longos, vencidos pela ucraniana, que voltaria a quebrar com um ótimo winner de backhand na cruzada, abrindo muito a quadra. Sacando para o jogo, Kalinina definiu a partida no segundo match-point. A ucraniana fez 30 a 20 nos winners e cometeu 14 erros contra apenas 9 de Raducanu.

"Dou crédito à Emma porque acho que nós duas jogamos em alto nível. É por isso que o jogo foi tão bom, na minha opinião. Estou muito feliz por poder fechar a partida, porque foi uma loucura no final, com tantos pontos decisivos e tantos ralis longos", disse Kalinina após a partida. "No final da partida, eu não estava pensando no placar, porque a intensidade era muito alta".

"Se você olhar para a chave, eu peguei três campeãs de Grand Slam e estou ficando cada vez mais experiente nesses jogos", acrescenta a ucraniana. "Estou muito feliz por estar começando a avançar e chegar longe nos grandes torneios. Estou ganhando mais experiência neste nível".

Duelo com a canhota Teichmann nas quartas
A adversária de Kalinina nas quartas de final será a suíça Jil Teichmann, canhota de 24 anos e 35ª do ranking, que venceu a cazaque Elena Rybakina por 6/3 e 6/1 em 1h17 de partida. Cada jogadora fez 13 winners, mas Rybakina cometeu 34 erros contra apenas 20 da rival. Além disso, a suíça conseguiu quatro quebras e escapou dos seis break-points que enfrentou.

"Elena é uma grande jogadora e que saca muito bem. Ela é muito rápida nos games de devolução e fico muito feliz pela maneira como lidei com o jogo", comentou a suíça, que já tem uma final de WTA 1000 na carreira, alcançada no ano passado em Cincinnati.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva