Notícias | Dia a dia
Muguruza sente lesão e sofre dura derrota na 2ª fase
01/05/2022 às 11h07

Muguruza disputou seu primeiro torneio desde Indian Wells

Foto: Mutua Madrid Open

Madri (Espanha) - A segunda rodada do WTA 1000 de Madri não está sendo boa para as jogadoras espanholas. Depois da derrota da número 2 do mundo Paula Badosa no último sábado, foi a vez de a nona colocada Garbiñe Muguruza ser eliminada da competição. Muguruza esteve em quadra por apenas 1h21 e perdeu por 6/3 e 6/0 para a ucraniana Anhelina Kalinina, 37ª do ranking.

Durante a partida deste domingo, Muguruza precisou de um atendimento médico para a panturrilha direita. Algoz da australiana Ajla Tomljanovic na última sexta-feira, Muguruza estava sem jogar desde Indian Wells. Ela já havia desistido de Miami por outro problema físico, lesão no ombro esquerdo.

"Fisicamente, eu senti uma leve tensão na panturrilha direita e, por precaução, pedi para colocarem uma bandagem. Vou conversar com a minha equipe para ver se temos que fazer algum tipo de teste", disse Muguruza, que acredita que o incômodo na perna teve impacto direto no resultado. "Eu acho que isso influencia, porque fisicamente eu senti que não estava 100%, mesmo tendo um dia de folga ontem".

"Quanto ao resto, foi uma partida estranha. Acho que mesmo se eu tivesse oportunidades para não perder, eu não conseguiria aproveitá-las. Estou surpresa com o jogo dela, não a conhecia e ela jogou muito bem. Nesses momentos de definição, o meu jogo não funcionava", explica a espanhola, que fez apenas 8 winners contra 26 de Kalinina e cometeu 18 erros não-forçados, dois a menos que a rival.

"Além disso, o treinamento não foi tão bom. Sabe, aquela tensão que você tem no corpo para te deixar um pouco dura. Também senti um pouco a falta de ritmo e de estar em algumas situações de jogo, como os break-points e momentos de pressão. Ela vem jogando muitas partidas e tem essa 'faísca'", complementou Muguruza, que sofreu quatro quebras de serviço e perdeu todos os seis break-points que teve no jogo.

A ex-número 1 do mundo ainda não sabe se terá que fazer mais mudanças em seu calendário, de olho em Roland Garros. "Preciso falar com minha equipe e checar a minha panturrilha. Tenho alguns dias até o torneio de Roma para ver como minha panturrilha está, mas vou fazer alguns testes para que nada de grave aconteça comigo".

Já Kalinina vive ótima fase e está apenas uma posição abaixo do melhor ranking da carreira. A ucraniana chegou recentemente às oitavas em Miami e às quartas em Charleston. A vitória diante de Muguruza foi sua primeira contra top 10 na carreira. "Não esperava vencer por este placar. Fiz uma boa partida e desejo o melhor para a Garbiñe, porque sei que alguma coisa aconteceu com ela. Foi uma grande luta".

"Fico feliz por ter vencido em uma quadra central, porque não estou tão habituada. No fim do ano passado, eu comecei a jogar mais nessas quadras grandes e isso era um pouco difícil para mim. O atmosfera é diferente se comparada com as quadras externas. Então estou muito feliz por essa vitória", acrescenta a ucraniana que pode enfrentar a compatriota Marta Kostyuk ou a britânica Emma Raducanu.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva