Notícias | Dia a dia
Belarus avalia ação judicial contra Wimbledon
22/04/2022 às 10h57

Aryna Sabalenka seria uma das principais atingidas com a restrição aos bielorrussos

Foto: Arquivo

Minsk (Belarus) - A decisão de Wimbledon de impedir a inscrição de tenistas russos e bielorrussos para a edição deste ano poderá parar na Justiça. Inconformada com a medida, a Federação Bielorrussa avisou que está consultando escritórios de advocacia internacional sobre direito esportivo para reverter a situação. Entre os seus principais jogadores que estariam barrados do torneio, figuram a atual número 4 Aryna Sabalenka e a campeã de Grand Slam Victoria Azarenka.

Em comunicado distribuído na quinta-feira, a entidade condenou categoricamente a decisão do All England Club, o organizador e proprietário de Wimbledon, e disse que isso poderá trazer mais problemas do que soluções. “Essas ações destrutivas não contribuem de forma alguma para a resolução de conflitos, mas apenas incitam o ódio e a intolerância por motivos étnicos”.

Governo fortemente ligado a Moscou, Belarus tem sido uma área chave para a invasão feita pela Rússia ao norte da Ucrânia, sendo usada como base para se chegar à capital Kiev.

"As decisões ilegais das organizações internacionais de tênis em relação aos nossos tenistas minam a reputação dessas organizações", criticou a Federação.

Wimbledon afirmou que a restrição aos russos e bielorrussos poderá mudar caso as circunstâncias da guerra em andamento mudem até junho. O Club recebeu apoio da LTA, a associação britânica que controla o tênis no Reino Unido, e também do ministro do Esporte britânico, Nigel Huddleston, que disse no mês passado que não se sentiria confortável com um atleta russo vencendo Wimbledon.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva