Notícias | Dia a dia
Osaka e Swiatek fazem final entre ex e futura nº 1
01/04/2022 às 15h52

Miami (EUA) - A final de Miami reúne uma ex-líder do ranking e a futura número 1 do mundo. Naomi Osaka e Iga Swiatek se enfrentam a partir das 14h (de Brasília) deste sábado, em busca do título do terceiro WTA 1000 da temporada.

O único duelo anterior entre elas aconteceu em 2019, em Toronto. Na época, Osaka era a vice-líder do ranking, enquanto Swiatek tinha apenas 18 anos e ocupava o 65º lugar. A vitória foi da japonesa, em sets diretos, com parciais de 7/6 (7-4) e 6/4.

O cenário atual é bem diferente. Swiatek venceu os dois primeiros WTA 1000 de 2022, em Doha e Indian Wells, e está invicta há 16 jogos. A polonesa de 20 anos ainda não perdeu sets em Miami. Ela também tenta se tornar a quarta mulher a conquistar os títulos de Indian Wells e Miami no mesmo ano, juntando-se a Steffi Graf, Kim Clijsters e Victoria Azarenka.

Já Naomi Osaka, de 24 anos, está em sua primeira final desde o Australian Open de 2021. Depois de ter reduzido bastante seu calendário de competições no ano passado, para cuidar de sua saúde mental, a japonesa vai recuperando a confiança durante a semana em Miami. Ela já eliminou grandes jogadoras no torneio, como Angelique Kerber, Danielle Collins e Belinda Bencic. Além disso, também está se destacado pelo bom desempenho no saque, com 13 aces nas quartas e mais 18 na semi.

É certo que Swiatek vai assumir a liderança do ranking a partir de segunda-feira, substituindo a australiana Ashleigh Barty, que anunciou recentemente o fim de sua carreira profissional. Já Osaka, que liderou o ranking por 25 semanas, aparece atualmente na 77ª posição. Ela está recuperando posições para assumir o 36º lugar e pode voltar ao top 30 em caso de título. O avanço só não é ainda maior porque ela tinha pontos a defender, já que chegou às quartas no ano passado.

Dos cinco títulos que Swiatek tem no currículo, há Roland Garros em 2020 e mais três WTA 1000, além do 500 de Adelaide no passado. Já Osaka tem sete conquistas no circuito, incluindo quatro Grand Slam e mais dois WTA 1000, Indian Wells em 2018 e Pequim na temporada seguinte.

Relembre o primeiro confronto entre Osaka e Swiatek

As duas finalistas se lembram do primeiro confronto entre elas. "Lembro-me de jogar contra a Iga em Toronto quando ela estava começando, e meu pensamento imediato foi: 'Uau, essa garota é realmente atlética'. Ela estava deslizando por toda a quadra. Acho que é realmente incrível ver o quão longe ela chegou. É simplesmente incrível ver que ela ainda está no torneio, depois de ter vencido Indian Wells, e que ela será a número 1 em breve. É muito legal", afirmou Osaka.

Swiatek complementou, citando também a recuperação de sua adversária. "Basicamente, a minha segunda partida em um torneio grande da WTA, quando eu senti que estava chegando de vez ao circuito, foi contra ela. Mesmo que eu tenha perdido aquele jogo, ela me inspirava a trabalhar mais. Naquela época, a Naomi estava disputando o número 1. Sinto que estou em um nível diferente agora e que podemos competir melhor agora. Estou muito feliz que a Naomi está melhor. Eu sabia que seria uma questão de tempo para ela voltar a esse nível. Estou muito ansiosa por esse jogo".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva