Notícias | Dia a dia
Exausto, Medvedev se sentia 'um peixe no sofá'
31/03/2022 às 19h57

Medvedev sofreu bastante com o calor e com a perda de líquidos durante o jogo das quartas

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - Eliminado nas quartas de final do Masters 1000 de Miami, Daniil Medvedev reconhece que estava fisicamente bastante desgastado durante a partida desta quinta-feira. Superado pelo polonês Hubert Hurkacz em sets diretos, com parciais de 7/6 (9-7) e 6/3, Medvedev sofreu bastante com o calor e com a perda de líquidos. E que em um dado momento, já não conseguia executar seus movimentos com precisão. O atual número 2 do mundo ainda fez uma analogia curiosa, dizendo que se sentia como "um peixe no sofá".

"Durante todo o jogo eu não estava me sentindo bem. Às vezes isso acontece. Tem dias que você se sente fisicamente melhor, e às vezes é um pouco pior. Depois dos pontos mais difíceis, sentia que minha respiração não estava se recuperando rápido o suficiente", disse Medvedev na entrevista coletiva após a partida. 

"Mas tudo bem. Como eu disse, às vezes isso pode acontecer. Você apenas luta e tenta ficar melhor durante a partida. E no segundo set, em apenas um momento eu me senti estranho. Eu não costumo me sentir assim, mas às vezes acontece quando está quente", acrescentou o jogador de 26 anos. "Então, eu não sei o motivo real. Talvez seja o calor. Mas, sim, eu estava me sentindo super tonto e cansado. E teve um game longo em que eu não conseguia mais sacar. Senti cãibras, então fisicamente não era fácil. Mas sei que isso faz parte do jogo".

O russo chegou a receber atendimento durante o segundo set, quando perdia por 4/3, e tomou um medicamento em quadra. Ele diz que conversou com um fisioterapeuta e também com um médico do torneio. "Eu estava bebendo muita água e o médico me deu mais alguns eletrólitos e pílulas. Acho que um bom conselho que eu recebi foi para que eu ficasse de pé. Quando eu estava sentado e muito cansado, todos os músculos ficaram com cãibras, cãibras, cãibras... Eu era como um peixe no sofá".

"Mas como eu disse, não é nada sério. À noite você já vai estar melhor. Eu sempre tento me levar ao limite, seja nos treinos ou nas partidas. Às vezes eu não o cara mais forte fisicamente do circuito, mas estou tentando, estou trabalhando, e tenho certeza que vou me tornar ainda melhor", explicou o atual campeão do US Open. 

Medvedev poderia reassumir a liderança do ranking da ATP, posição que já ocupou por três semanas, se tivesse vencido a partida desta quinta-feira, mas diz que isso não trazia nenhuma carga extra de pressão. "Eu sei que Hubert pode jogar um ótimo tênis. Para mim, era mais importante ganhar a partida em si do que me tornar o número 1 de novo. Eu via isso mais como um bônus. Não me sinto mais pressionado por causa disso. Para ser honesto, já joguei muitas partidas em que tive a pressão, e não é como se algo novo tivesse acontecido hoje em termos de entrar quadra muito pressionado ou algo assim".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva