Notícias | Dia a dia
Swiatek vence a 12ª seguida e será a nova nº 1
25/03/2022 às 21h34

Após a partida, Swiatek recebeu flores do diretor do torneio James Blake e da ex-número 1 Lindsay Davenport

Foto: Jimmie48/WTA

Miami (EUA) - O ranking mundial terá uma nova número 1 após o WTA 1000 de Miami. Após a notícia de que Ashleigh Barty vai encerrar a carreira e já pediu para retirar o nome do ranking, a polonesa Iga Swiatek confirmou as expectativas e conseguiu o resultado necessário para assumir a primeira posição. Swiatek estreou em Miami vencendo a suíça Viktorija Golubic, 42ª do ranking, por 6/2 e 6/0 em apenas 1h14 de partida nesta sexta-feira.

Esta foi a 12ª vitória seguida para Swiatek no circuito, já que a jovem polonesa de 20 anos venceu os dois primeiros WTA 1000 da temporada, em Doha e Indian Wells. Em 2022, ela venceu 21 jogos e perdeu apenas três. Uma das derrotas foi justamente para Barty, na semifinal de Adelaide na primeira semana do ano.

+ Com títulos importantes, Swiatek quer agora o nº 1
+ Blog: Swiatek pensa grande e tem motivos para isso

A partida começou da melhor maneira possível para Swiatek, que venceu oito dos primeiros nove pontos disputados e já largou com 2/0 no placar. Na sequência, enfrentou cinco break-points no mesmo game, mas jogou muito bem nos momentos de pressão. Quase sempre, a polonesa buscava a definição dos pontos com o forehand e escapou da quebra. A situação foi parecida nos games subsequentes, com um 0-40 revertido e uma nova quebra para fazer 5/1 no placar.

Golubic, uma das poucas jogadoras com backhand de uma mão na elite do circuito feminino, devolveu uma das quebras, atacando as paralelas. Mas as devoluções agressivas e no corpo que Swiatek tanto tem usado desde a campanha vitoriosa em Doha, renderam uma nova quebra na sequência. Já no segundo set, a polonesa passeou em quadra, conseguiu três novas quebras e só perdeu cinco pontos em seus games de serviço para chegar à vitória. Ela fez 26 winners contra apenas 8 da rival e conseguiu seis quebras em nove oportunidades. Golubic também teve nove break-points no jogo, mas só quebrou uma vez.

"Eu não estava pensando muito sobre os pontos ou o ranking para não me distrair, estava focada apenas na minha performance e estou muito feliz por isso", disse Swiatek, durante a entrevista em quadra. "Ainda tenho que me adaptar às condições. Eu não tive e oportunidade de treinar nesse estádio ainda, é provavelmente a primeira vez na minha vida que eu passo por essa situação".

"Aqui é muito mais úmido que em Indian Wells e foi muito difícil para eu me ajustar fisicamente, mas acho que eu estava preparada. Eu venho em uma ótima sequência de vitórias e posso jogar sem medo. Ainda há muito para mudar e para eu me acostumar, mas posso ir aprendendo durante o torneio", acrescentou a polonesa. Logo após a partida, Swiatek recebeu um buquê de flores das mãos de James Blake, diretor do torneio, e da ex-número 1 do mundo Lindsay Davenport.

Primeira polonesa a liderar o ranking mundial
Swiatek será a 28ª jogadora diferente a liderar o ranking da WTA e a primeira polonesa. Quando conquistou o título em Indian Wells no último domingo, dois dias antes de Barty anunciar a aposentadoria, tornou-se a número 2 do mundo e igualou o melhor ranking de uma jogadora de seu país. Até então, essa marca pertencia a Agnieszka Radwanska.

Apesar da pouca idade, Swiatek tem no currículo quatro títulos importantes. Sua primeira conquista no circuito foi logo um Grand Slam, Roland Garros em 2020. Ela também tem três títulos de WTA 1000, em Roma no ano passado, além das recentes conquistas em Doha e Indian Wells. A polonesa também já venceu o WTA 500 de Adelaide em 2021.

A próxima adversária de Swiatek em Miami será a norte-americana Madison Brengle, 59ª do ranking, que derrotou a russa Liudmila Samsonova, número 30 do mundo, por 6/4 e 6/0. A polonesa tem uma vitória e uma derrota contra Brengle no circuito.

Única concorrente direta, Badosa também venceu
A única tenista que disputava a liderança do ranking com Swiatek nesta semana em Miami era a espanhola Paula Badosa, sexta do ranking, já que Maria Sakkari e Aryna Sabalenka tinham pontos a defender e Barbora Krejcikova não participou do torneio.

Badosa precisava do título e ainda torcer para Swiatek perder na estreia em Miami. A espanhola marcou um duplo 7/5 contra a tcheca Marie Bouzkova, com 31 winners e 24 erros não-forçados. Ela enfrenta a cazaque Yulia Putintseva na próxima fase.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva