Notícias | Dia a dia
Sakkari vive sua melhor fase e mira a vice-liderança
19/03/2022 às 14h43

Sakkari terá um confronto direto com Swiatek pela vice-liderança do ranking

Foto: BNP Paribas Open

Indian Wells (EUA) - Finalista do WTA 1000 de Indian Wells, Maria Sakkari tenta conquistar neste domingo seu título mais importante no circuito profissional. Além disso, a grega de 26 anos pode terminar a semana como a nova número 2 do mundo. A atual sexta colocada enfrenta a polonesa Iga Swiatek, quarta do ranking. O jogo deste domingo às 17h (de Brasília) será um confronto direto pela vice-liderança.

"Eu ainda não consigo acreditar. Há oito meses era algo que parecia impossível de alcançar, mas agora falta apenas uma vitória", disse Sakkari, que tem sido uma das jogadoras mais consistentes do circuito nos últimos anos. Ela disputou oito semifinais em 2021 e mais três este ano. Ainda assim, tem apenas um título de WTA 250, conquistado no saibro de Rabat em 2019.

"Mas não vou pensar tanto nisso porque já é um torneio muito bom. É claro que, em termos de ranking, vejo que estou melhorando a cada semana, o que acho muito importante para mim, para minha equipe, para minha família e, claro, para meu país", acrescentou a grega, que disputará a quinta final da carreira e a segunda na temporada.

Sakkari lidera o histórico de confrontos com Swiatek por 3 a 1, mas perdeu o duelo mais recente, disputado há três semanas na semifinal de Doha. "Obviamente, sabemos que ela está jogando muito bem nos últimos tempos. Desde o início do ano, eu diria. Ela é uma das jogadoras mais consistentes na temporada e tem muita confiança".

"Em Doha e ela foi a melhor jogadora naquele dia e a melhor jogadora do torneio. Eu gosto muito dela e a respeito muito, porque é uma menina adorável. Ela é muito legal e realmente merece tudo o que conquistou. Mas por outro lado, tenho plena fé e muita confiança no meu jogo e em mim mesma agora", complementou a grega.

Sakkari também falou sobre a vitória na semifinal sobre a espanhola Paula Badosa, número 7 do mundo e campeã no ano passado, por 6/2, 4/6 e 6/1. "Comecei a partida muito bem. Fui muito agressiva desde o início. Eu estava tentando encontrar maneiras diferentes de jogar com ela, desde o nosso primeiro confronto no México e acho que tivemos a estratégia certa".

"Tirei o pé do acelerador no segundo set e obviamente ela começou a jogar muito melhor. Ela era mais sólida. Mas estou muito orgulhosa pela forma como voltei para o jogo no terceiro set", acrescentou a grega, que conseguiu três quebras na parcial decisiva e liderou a estatística de winners na partida por 28 a 6.

Acostumada a chegar longe em grandes torneios, chegando às semifinais de Roland Garros, do US Open e do WTA Finals no ano passado, Sakkari comentou sobre o histórico negativo em fases decisivas e garante que isso não afeta sua confiança. "Eu nunca penso sobre isso. As pessoas ao meu redor falam sobre essas semifinais e que eu não fui capaz de superar, mas eu nunca pensei sobre isso porque sempre fui muito confiante de que iria superar isso logo. E deu certo, eu acho".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva