Notícias | Dia a dia
Azarenka é mais uma a se posicionar contra a guerra
03/03/2022 às 19h46

Azarenka é uma das atletas que precisará jogar sob bandeira neutra nas próximas semanas

Foto: Arquivo

Minsk (Belarus) - A ex-número 1 do mundo Victoria Azarenka é mais uma tenista de alto nível a se posicionar contra a invasão russa no território da Ucrânia, que já acontece há uma semana. A jogadora de 32 anos e atual 16ª do ranking é um dos vários nomes do circuito profissional que terá que atuar sob bandeira neutra nas próximas semanas.

Assim como aconteceu com os tenistas da Rússia, os atletas de Belarus também não poderão utilizar as bandeiras e símbolos nacionais durante a temporada dos circuitos da ATP e WTA e suas equipes foram suspensas pela ITF de competições como a Copa Davis e a Copa Billie Jean King. Isso porque tropas russas baseadas em Belarus também participaram da invasão à Ucrânia.

"Estou devastada pelas ações ocorridas nos últimos dias na Ucrânia. É de partir o coração ver quantas pessoas inocentes estão sendo afetadas por tanta violência", escreveu Azarenka em suas redes sociais.

"Desde a infância, eu sempre tive contato com pessoas da Ucrânia e de Belarus. As duas nações sempre foram amigas e ajudaram uma à outra. É duro testemunhar a violenta separação que está acontecendo, em vez de buscar compaixão uns com os outros", acrescentou a bielorrussa, que tem seis vitórias e três derrotas na temporada.

"Meu coração está com todos aqueles que foram impactados direta ou indiretamente por essa guerra, que causou tanta dor e sofrimento a tantas pessoas. Desejo a paz", complementou a bicampeã do Australian Open.

A posição de Azarenka foi rapidamente apoiada pela ucraniana Elina Svitolina, número 15 do mundo, e que havia solicitado no início da semana que os tenistas da Rússia e de Belarus jogassem sem os símbolos nacionais. Em sua declaração, Svitolina também agradecia as atletas desses países que já haviam se posicionado contra o conflito.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva