Notícias | Dia a dia
Colombiana pede mais WTA na América do Sul
02/03/2022 às 14h51

A colombiana Camila Osorio é a sul-americana mais bem colocada no ranking de simples da WTA

Foto: Abierto GNP Seguros

Monterrey (México) - Sul-americana mais bem colocada no ranking de simples da WTA, a jovem 20 anos Camila Osorio espera que o circuito tenha mais torneios na região para que outras tenistas sul-americanas possam se desenvolver. Osorio é atual 44ª do ranking e venceu o único WTA 250 na América do Sul do ano passado, em Bogotá. Ela também disputou uma final nas quadras duras de Tenerife, na Espanha, em 2021.

"O que nos falta para crescer são mais torneios da WTA", disse Osorio, à revista norte-americana Tennis. A colombiana também comparou a situação do circuito feminino com a do tênis masculino, com quatro torneios na região, em Córdoba, Buenos Aires, Rio de Janeiro e Santiago.

"Se você olha para a ATP e eles têm até cinco torneios. Só aqui no México você encontra torneios para competir, mas na América do Sul é difícil", explica a jovem tenista, que disputa dois torneios seguidos no México. Ela jogou em Guadalajara na semana passada e agora está em Monterrey.

Além do único 250 em Bogotá, a região recebeu no ano passado dois eventos da série 125, equivalentes aos challengers mais fortes, em Montevidéu e Buenos Aires, além de torneios menores da Federação Internacional (ITF). A WTA já confirmou nesta quarta-feira que as capitais da Argentina e do Uruguai receberão novos eventos de nível 125 no fim do ano. Apesar do número reduzido de torneios, Osorio destaca que mais jogadoras sul-americanas estão conseguindo se firmar no circuito.

"Pouco a pouco mais meninas estão surgindo. Devo dizer que para nós é muito mais difícil seguir em frente. Apesar disso, pouco a pouco estamos tendo mais presença", explicou a colombiana. Ela estreou em Monterrey vencendo a polonesa Magdalena Frech por 6/3 e 7/6 (7-4). Sua próxima rival é a mexicana Marcela Zacarias.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva