Notícias | Dia a dia | Australian Open
Keys analisa slice de Barty e busca soluções para semi
25/01/2022 às 13h23

Keys disputará sua quinta semifinal de Grand Slam e desafia a número 1 do mundo

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Depois de cinco vitórias no Australian Open e da confirmação da vaga na semifinal da competição, Madison Keys terá uma difícil missão pela frente. A norte-americana enfrenta a número 1 do mundo Ashleigh Barty em busca de uma vaga na final em Melbourne. O confronto marca um contraste de estilos, com o jogo de muita potência e golpes mais retos de Keys contra as variações táticas de Barty. Nesse cenário, a jogadora de 26 anos avaliou as dificuldades que terá contra os famosos slices da rival.

"Eu acho que a razão pela qual o slice da Ash é tão bom é apenas porque ela é capaz de executá-lo, não importa o peso da bola que venha para ela, o que eu acho que não há muitas jogadoras de nossa geração capazes de fazer", disse Keys, que tem uma vitória e duas derrotas contra Barty no circuito.

"Ela também faz um bom trabalho em redefinir os pontos constantemente, sendo capaz de voltar a um ponto neutro com uma bola. Acho que é obviamente uma de suas armas, porque ela pode trabalhar o ponto até procurar um forehand. Obviamente, uma vez que Ash encontra um bom forehand, então ela pode começar a controlar o ponto. O mais importante é continuar a focar no meu lado da rede, focar no meu plano de jogo, jogar dentro de mim", acrescentou a ex-top 10 e atual 51ª do ranking.

Para garantir sua vaga na semifinal, Keys derrotou nesta terça-feira a tcheca Barbora Krejcikova por 6/3 e 6/2. "Acho que joguei uma partida bastante sólida hoje. Estou muito feliz por estar de volta à semifinal depois de tanto tempo", afirma a norte-americana, que também falou sobre os problemas físicos enfrentados por sua adversária durante o segundo set.

"Eu honestamente não pensei muito sobre o que estava acontecendo com ela, mas obviamente percebi que havia alguma coisa com a qual ela estava lidando. No segundo set, eu acho que ela estava sofrendo um pouco, mas ela também estava fazendo ótimas jogadas. Eu só tive que ter tempo para reorientar e focar no meu lado da rede".

Será a quinta semifinal de Grand Slam na carreira de Keys, que repete a campanha de 2015 em Melbourne. Sua única final em torneios deste porte foi no US Open de 2017. A jogadora de 26 anos comparou os dois momentos de sua carreira. "Eu diria que é diferente porque sou sete anos mais velha e não é minha primeira semifinal de um Slam. Acho que estou um pouco mais preparada desta vez do que estava há tantos anos".

Depois de enfrentar o forte calor australiano nas últimas vitórias, não só contra Krejcikova, mas também diante da espanhola Paula Badosa nas oitavas, Keys irá disputar a semifinal na sessão noturna na próxima quinta-feira e falou sobre a adaptação às condições. "Sinto que joguei muitas partidas noturnas na minha carreira, então não preciso necessariamente me forçar a treinar mais tarde ou algo assim. Mas vou tentar dormir mais no dia seguinte e não começar meu dia às 6 da manhã".

Comentários