Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nadal se complica, mas garante 36ª semi em Slam
25/01/2022 às 04h38

Melbourne (Austrália) - No duelo entre os dois últimos canhotos ainda vivos na chave masculina do Australian Open, entre os 20 que começaram o torneio, o espanhol Rafael Nadal começou muito bem e pareceu que bateria o canadense Denis Shapovalov em sets diretos, mas encarou problemas físicos e com o saque que fizeram oscilar antes de fechar o jogo por 3 a 2, com placar final de 6/3, 6/4, 4/6, 3/6 e 6/3.

Cada vez mais perto de se tornar apenas o quarto tenista da história a superar as 500 vitórias no piso duro, o espanhol precisa agora de apenas mais uma para chegar em tal marca. Para conseguir este feito ainda na Austrália, Nadal terá que superar na próxima partida quem passar do duelo entre o italiano Matteo Berrettini e o francês Gael Monfils. Ele bateu o italiano na única vez que se cruzaram e tem 14 vitórias e 2 derrotas contra o francês.

Ao alcançar as semifinais em Melbourne pela sétima vez, Nadal se iguala com o tcheco naturalizado norte-americano Ivan Lendl como o nono que mais vezes chegou tão longe no torneio. O recordista é o suíço Roger Federer com 15, seguido pelo australiano Jack Crawford com 11. O sérvio Novak Djokovic está empatado com o australiano John Bromwich em terceiro, ambos com 9.

No geral, o espanhol soma agora 36 semis em Grand Slam e se aproxima de Federer e Djokovic, os dois melhores neste quesito. O suíço é o recordista com 46 e o sérvio vem logo atrás com 42. Aos 35 anos e 241 dias, Nadal é agora o quarto mais velho semifinalista, atrás apenas de Ken Rosewall, Federer e Mal Anderson, todos alcançando semifinais após os 36 anos de idade.

Embora o Australian Open seja o Slam em que o canhoto de Mallorca tem menos títulos, é o segundo em número de vitórias. Ele soma agora 74 triunfos em Melbourne, que só fica atrás das 105 de Roland Garros, onde foi campeão 13 vezes. No US Open são 64 triunfos e quatro títulos e em Wimbledon 53 triunfos e dois títulos.

Início dominante de Rafa

O espanhol teve um começo muito firme de partida dominante, sem dar muitas chances a Shapovalov, que não teve um break-point sequer a seu favor nos dois primeiros set. O canadense não estava sacando mal, mas bastava um ou outro vacilo para ser atacado por Nadal, que converteu a primeira e única chance de quebra que teve no primeiro set e no segundo aproveitou um dos dois break-points para abrir 2 a 0.

Colocando 76% dos primeiros serviços no set inicial e 70% no segundo, Nadal venceu 80% dos pontos com o saque no primeiro e 65% no segundo, anotando neste começo de jogo 20 bolas vencedoras contra 16 de Shapovalov e 13 erros não forçados contra 24 do canadense.

Queda de rendimento e empate

Depois de abrir confortável vantagem e parecer ter o jogo sob seu domínio, o espanhol então oscilou e Shapovalov aproveitou a chance. Uma leve queda no rendimento de Nadal com o saque e um melhor aproveitamento do canadense fez com que o jogo fosse mudando de cara aos poucos. Depois de salvar dois break-points no sexto game do terceiro set, o canhoto de Mallorca foi quebrado quando sacava em 4/5 e assim perdeu a parcial.

Shapovalov manteve o ritmo ascendente no quarto set, em que o espanhol chegou a pedir atendimento médico alegando problemas no estômago. Ele tomou algo que lhe foi dado em quadra pelo médico do torneio, mas não teve forças para reagir a tempo do break sofrido logo no quarto game e viu o rival canadense empatar a partida.

Volta por cima no final

Quando tudo indicava uma batalha pela sobrevivência no quinto set, Shapovalov não poderia ter um começo mais desanimador. Ele perdeu um break-point logo no primeiro game, foi quebrado no segundo e depois deixou mais dois breaks escaparem no terceiro. Daí para frente, Nadal elevou um pouco seu nível e não abriu mais brechas para o canadense, administrou a vantagem e carimbou o passaporte para as semifinais.

Apesar de ter anotado 20 aces e apenas cinco duplas faltas, contra 8 aces e 11 duplas faltas do oponente, Shapovalov terminou a partida com aproveitamento inferior com o saque (65% a 68%). Nadal obteve 12 bolas vencedora a menos (41 a 53), mas compensou cometendo 23 erros não forçados a menos (28 a 51).

Comentários