Notícias | Dia a dia | Australian Open
Osaka diz que lutou até o fim e valoriza Anisimova
21/01/2022 às 13h32

Osaka era atual campeã do torneio, mas não passou da terceira rodada em Melbourne

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Eliminada na terceira rodada do Australian Open, Naomi Osaka lamentou a derrota sofrida para Amanda Anisimova nesta sexta-feira em Melbourne. Mas a ex-número 1 do mundo e bicampeã do torneio se diz satisfeita com sua atitude em quadra, muito diferente do que havia acontecido no último US Open, quando saiu de quadra decidida a fazer uma pausa na carreira para cuidar da saúde mental. A japonesa também valorizou a grande atuação de sua adversária, especialmente nas devoluções de saque.

"Eu lutei por cada ponto. Não posso ficar triste com isso. Não posso ganhar todas as partidas", disse Osaka, após a derrota por 4/6, 6/3 e 7/6 (10-5) para Anisimova. A japonesa chegou a ter dois match-points quando vencia o terceiro set por 5/4. "Então, só tenho que levar isso em conta e saber que seria bom ganhar o torneio, mas eu não posso pensar que vou vencer um Grand Slam no início do ano todas as vezes".

"Sinto que cresci muito nesta partida. Na última que joguei em Nova York, acho que tive uma atitude completamente diferente, então estou muito feliz - sabe, é claro que perdi, mas estou feliz com o que aconteceu. Diria que estou orgulhosa de mim mesma por isso, mesmo tendo perdido. Acho que estive muito concentrada durante todo o jogo e não tive uma queda. Então isso é muito bom. Espero que à medida que a temporada continue, serei capaz de manter isso e ficar ainda melhor", acrescenta a atual 14ª do mundo. Como ela tinha 2 mil pontos a defender e manteve apenas 130, vai cair no ranking e aparecer por volta da 80ª posição.

'Aprendi muito com esse jogo', diz Osaka
A vencedora de quatro títulos de Grand Slam está disposta a continuar evoluindo e vê a própria adversária como exemplo. "Acho que as devoluções dela foram incríveis. Eu quase senti como se estivesse lutando pela minha vida em alguns games de saque. Sinceramente, penso que ganhei alguns games apenas na força de vontade."

"É muito interessante, quando você está jogando contra alguém, você querer aprender com a sua adversária. Eu quero aprender a devolver o saque do mesmo jeito que ela. Então, depois eu vou para a quadra de treino e tentar praticar minhas devoluções. Talvez não amanhã, mas sempre. Foi uma partida emocionante para mim. Espero que todos que assistiram tenham gostado", complementou a jogadora de 24 anos.

"Durante os ralis, acho que ela estava ditando um pouco mais, o que era uma sensação nova para mim. Eu nunca joguei contra ela antes, então eu não sabia o ritmo de sua bola, mas foi um pouco chocante estar na defensiva na maioria dos ralis. Eu senti que era um pouco como tênis de mesa, com o jogo muito rápido, e de repente ela batia em uma bola mais curta e eu estava tão atrás da linha que não conseguia chegar. Acho que aprendi muito com o jogo de hoje. Acho que isso será realmente positivo em qualquer torneio que eu jogar daqui para frente".

Osaka também foi perguntada se a falta de ritmo pode ter influenciado no resultado. "Eu acho que não. Wim [Fissette, seu técnico] disse que provavelmente sim, porque não joguei contra ninguém que sacava e devolvia tão bem. Então ele disse que se eu enfrentasse alguém que devolvesse o saque tão bem quanto ela antes, talvez eu estivesse mais preparada, mas essas são as escolhas que eu fiz e sei que tentei o melhor que pude".

Comentários