Notícias | Dia a dia | Australian Open
Murray: 'Este é um ano decisivo na minha carreira'
20/01/2022 às 12h00

Murray esperava ter bons resultados durante a temporada do circuito

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Eliminado ainda na segunda rodada do Australian Open, Andy Murray não escondeu a insatisfação pela derrota para o japonês Taro Daniel nesta quinta-feira. Depois de chegar a Melbourne com grandes expectativas e sonhando com boas campanhas nos principais torneios da temporada, o britânico amargou mais uma eliminação precoce após a derrota por triplo 6/4 para o atual 120º do mundo.

"Este é um ano muito importante para mim por várias razões", disse Murray após sua eliminação na segunda rodada. "Quero ter um bom desempenho nos grandes eventos. Para mim, esta noite não foi boa o suficiente. Parar na segunda rodada de um Grand Slam não é algo que me motiva. Eu quero fazer melhor do que isso"

"Ele foi sólido durante toda a partida, que era o que eu esperava dele. Ele se move bem e é muito consistente. Ele não dá nada de graça para você. Mas hoje estou realmente decepcionado. Foi uma derrota difícil para mim. Isso é certeza", acrescentou o ex-número 1 do mundo, cinco vezes finalista do torneio.

"Eu me senti bem fisicamente hoje. Eu me recuperei bem do primeiro jogo. A esse respeito, eu estava realmente muito feliz, considerando a situação", comenta o britânico, que também não culpa a troca de raquetes efetuada nesse início de temporada. "Não é uma desculpa para perder hoje, mas eu tenho que levar isso em conta nas minhas performances por alguns meses".

"Todo mundo com quem conversei sobre a troca de raquetes diz que leva um pouco de tempo para ganhar confiança, então tenho que ter isso em mente. A razão para eu trocar de raquete é melhorar meu desempenho e obviamente se sair melhor em eventos maiores, e isso não aconteceu esta semana. Isso é frustrante para mim", explica o atual 113º colocado do ranking.

O experiente jogador de 34 anos também falou sobre a administração do calendário durante a temporada. Ele deverá voltar ao circuito no final de fevereiro, atuando em Doha e Dubai. "É mais difícil sair de casa quando você sabe que tem quatro filhos do que quando eu tinha 20 e poucos anos. Agora eu posso ir para casa e passar algum tempo com eles. Minha família esteve um pouco doente na última semana. Obviamente, quando esse é o caso, você quer estar lá para ajudar e sentir que está contribuindo".

Comentários