Notícias | Dia a dia | Australian Open
Apoio de Andy Murray anima Osaka na Austrália
19/01/2022 às 15h37

Melbourne (Austrália) - O segundo jogo de Naomi Osaka no Australian Open contou com uma audiência bastante qualificada nesta quarta-feira. A atuação da japonesa na vitória sobre por 6/0 e 6/4 sobre a norte-americana foi elogiada pelo ex-número 1 do mundo Andy Murray nas redes sociais. Osaka agradeceu pelo apoio tanto em seu perfil no Twitter, quanto na entrevista coletiva, diante dos jornalistas.

"Alguém consegue bater tão bem na bola do fundo de quadra como a Naomi Osaka", escreveu Murray. A japonesa logo respondeu em suas redes sociais: "Alguém consegue colocar o coração e lutar tanto quanto Andy Murray", escreveu a bicampeã do torneio, em referência à batalha de cinco sets que Murray superou na rodada de estreia.

Na entrevista coletiva, Osaka disse que o apoio de Murray significa muito e acabou sendo surpreendente. "Significa muito. Para mim foi um momento muito legal. É um pouco chocante, porque quando você está jogando, você nunca pensa que a TV está transmitindo e que outras pessoas estão assistindo. Então foi muito surreal. Eu treinei com ele uma vez, três anos atrás, e é uma memória muito querida para mim. É muito legal ter alguém como ele falando sobre o meu jogo".

A japonesa avaliou seu desempenho na partida desta quarta-feira. "Lembro-me de quando era mais jovem e eu a assistia jogar no circuito profissional. Ela era conhecida por chegar em todas as bolas. Então, peguei essas memórias da época e tentei dizer a mim mesma que eu provavelmente cometeria muitos erros não forçados nesta partida, mas era algo que eu precisava fazer, para não deixá-la ditar o ritmo da partida.

Depois de amplo domínio no primeiro set, Osaka encarou dez break-points no segundo set e teve o serviço quebrado. Ela perdia por 4/3, mas reverteu o placar vencendo três games seguidos. "Quando ela quebrou o meu saque no segundo set, é claro que eu fiquei muito decepcionada comigo mesma, mas também acho que esse é o tipo de jogo que eu preciso disputar em um Grand Slam para descobrir uma maneira de lutar e virar o jogo em momentos realmente cruciais".

Duelo com Anisimova na terceira rodada
Osaka agora enfrenta a jovem norte-americana de 20 anos Amanda Anisimova, 60ª do mundo, em confronto inédito no circuito. "Eu realmente não chamaria isso de jogar contra, mas fizemos uma exibição durante um evento de caridade antes de Indian Wells há alguns anos. Nunca nem treinei com ela ou qualquer coisa, então será realmente novo entrar em quadra por enfrentrá-la".

Anisimova chegou a ser semifinalista de Roland Garros em 2019 e atingiu o 21º lugar do ranking. Mas no mesmo ano, acabou sofrendo com a perda do pai. Depois de ter sofrido também com lesões e problemas de saúde nos últimos anos, ela começou a temporada vencendo seu segundo título de WTA na carreira, em Melbourne.

"É muito bom vê-la no circuito, porque eu ouvi sobre a história dela e sobre o que aconteceu com ela. Então é muito bom. Acho incrível ver a geração mais jovem se saindo muito bem, porque me lembro de também fazer parte de uma geração mais jovem. Ela parece ser uma menina muito legal".

Comentários