Notícias | Dia a dia | Australian Open
Barty completa 5 jogos e 48 games sem quebras
19/01/2022 às 14h12

Barty só perdeu três games neste Australian Open e não teve o serviço quebrado no torneio

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - O sucesso de Ashleigh Barty neste início de temporada tem entre suas razões o bom desempenho no saque. A número 1 do mundo já está há cinco jogos sem sofrer quebras e confirmou seus últimos 48 games de serviço. Barty disputou sete jogos na temporada e só sofreu quebras na primeira partida do ano, contra Coco Gauff no WTA 500 de Adelaide.

Desde o duelo com Gauff, a australiana enfrentou Sofia Kenin, Iga Swiatek e Elena Rybakina em Adelaide. Além de ter vencido a ucraniana Lesia Tsurenko e a italiana Lucia Bronzetti em Melbourne. Contra Kenin e Bronzetti, sequer enfrentou break-points. Neste Australian Open, confirmou todos os 14 games de saque que disputou.

"Estou apenas tentando continuamente tornar o meu saque uma arma. Não sou a menina mais alta do circuito, mas sei que tenho uma boa técnica e sei que se conseguir um ritmo e usá-lo de maneira eficaz, pode ser uma arma", disse a tenista de apenas 1,66m. Eu acho que Tyz [seu técnico, Craig Tyzzer] e eu colocamos muita ênfase no meu saque. E desde quando eu era criança, estava sempre sacando várias e vezes para tentar criar aquela arma".

"Acho que consegui encontrar um bom ritmo e grande parte disso é para proteger meu segundo saque. Penso que eu fiz um bom trabalho nisso ao longo da última meia dúzia de partidas ou algo assim", acrescentou a australiana. "O saque é o único golpe no tênis sobre o qual você tem total controle. É assim que você começa o ponto. É mais sobre tentar iniciar os pontos nos meus termos o mais regularmente possível".

Duelo com Giorgi nas oitavas em Melbourne
Barty enfrenta na próxima rodada a italiana Camila Giorgi, 33ª do ranking. A australiana venceu os três duelos anteriores entre elas. "Será um desafio muito diferente dos que tive nas últimas partidas. Ela tem a capacidade controlar o centro da quadra e ser super agressiva no saque e na primeira bola, principalmente na devolução. Vai ser um jogo em que terei que sacar bem, usar variações de jogo e garantir que posso cobrir a quadra e neutralizar o jogo dela melhor que puder. Ela tem a habilidade de te tirar da quadra sem você perceber o que está acontecendo".

"Eu me lembro das partidas que joguei contra ela, não com grandes detalhes, mas sei um pouco como elas foram. Muitas vezes, a partida não está na minha raquete, para ser completamente honesto. Eu tenho que ser capaz de neutralizar e ser agressiva quando eu puder, mas também aceitar o fato de que nem sempre eu vou ter isso nos meus termos. Essa é uma parte importante do nosso confronto".

Comentários