Notícias | Dia a dia
Após vitória, Bia vai confiante para duelo com Halep
18/01/2022 às 11h57

Bia venceu de virada sua partida de estreia no Australian Open

Foto: Divulgação
Diego Diegues
Especial para TenisBrasil

Melbourne (Austrália) - Depois de superar a estreia no Australian Open, Beatriz Haddad Maia falou sobre o nervosismo da primeira partida do torneio, mas sabia que tinha de ser sólida para superar a norte-americana Katie Volynets nesta terça-feira em Melbourne. Em entrevista exclusiva ao site TenisBrasil, Bia também disse o que planeja fazer no duelo contra a romena Simona Halep, número 15 do mundo, pela segunda rodada do torneio.

"Todo jogo de primeira rodada é jogo duro. Não entrei bem e comecei cometendo muitos erros não forçados, e ela já saiu com 4/0 logo no começo. As coisas estavam difíceis até o 6/3, 2/1 e saque para ela, mas acho que eu encarei o jogo da forma correta", disse Bia após a vitória por 3/6, 6/2 e 6/3 sobre Volynets. A número 1 do Brasil e 83 do mundo, sabia que no momento de pressão teria o equilíbrio necessário para lidar com as adversidades e altos e baixos de uma partida de tênis.

"Fiquei feliz por ter competido o tempo inteiro e tentado mudar a minha forma de jogar quando precisei. Sei que o tênis muda muito rápido, então eu fiquei firme, comecei a me soltar e a jogar grande. Eu venho treinando muito bem e sabia que o meu nível de tênis ia aparecer em algum momento, e apareceu ali no segundo set. Eu me apeguei nas coisas boas que estava fazendo e consegui sair com a vitória", acrescentou a paulista de 25 anos, que faz sua terceira participação na chave principal em Melbourne.

Bia e Halep se enfrentaram uma única vez, na segunda rodada de Wimbledon em 2017. A brasileira elogiou a rival, que vem de título no WTA 250 de Melbourne, mas que assim como a romena, também está na busca do seu melhor tênis. "Eu já a enfrentei quatro anos atrás. É uma jogadora que vem de um resultado muito bom, ela ganhou um torneio aqui duas semanas atrás. É uma jogadora de muita qualidade, mas preciso criar as oportunidades e saber que posso, sim, vencê-la".

'Quero enfrentar as melhores do mundo', diz Bia
Ao contrário de sua adversária, a brasileira não está acostumada aos holofotes de uma Rod Laver Arena. Ela jogou lá apenas uma vez, contra a alemã Angelique Kerber em 2019, ou até mesmo Margaret Court Arena, duas das principais quadras do complexo "Em pensar que no ano passado estava salvando match point num quali de 25 mil, então preciso me acostumar a jogar nessas quadras contras essas jogadoras".

"Aqui é onde eu quero estar, quero jogar contra as melhores. Semana passada eu joguei contra a [Belinda] Bencic, na outra semana eu joguei contra uma menina que é 30 do mundo [a espanhola Sara Sorribes]. Então quanto mais eu enfrentar essas jogadoras, mais eu vou ter chances de criar oportunidades e vencê-las. Estou motivada, confiante, me sinto preparada. E acho que tem tudo para ser um ótimo jogo", acrescentou a paulistana, que tem duas vitórias contra top 10 e não disputava uma chave principal de Grand Slam desde 2019.

Contente por voltar a um grande torneio, Bia acredita ter potencial para estar entre as 20 melhores tenistas do mundo. "É sem dúvida um momento muito especial. Preciso desfrutar do momento, mas também acreditar no meu saque e na minha devolução. Eu quero estar no topo e jogando contra as melhores jogadoras".

Mudança nas adversárias nas duplas
Além da chave de simples, a brasileira também disputará duplas no Grand Slam. Após a conquista do título no WTA 500 de Sydney, Bia e a cazaque Anna Danilina seguem juntas na Austrália. Na estreia, que acontece na madrugada desta quarta-feira, a dupla enfrentará a húngara Anna Bondar e georgiana Oksana Kalashnikova. A princípio, elas jogariam contra duas top 20 de simples, Paula Badosa e Elena Rybakina, que deixaram a chave de duplas e vão priorizar o torneio individual.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva