Notícias | Dia a dia | Australian Open
Osaka muda rotina para tentar defender o título
16/01/2022 às 10h25

Osaka fez mudanças em sua preparação para ficar menos expostas às pressões externas

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Vencedora de quatro títulos de Grand Slam e bicampeã do Australian Open, Naomi Osaka inicia a disputa de mais um grande torneio com algumas mudanças em sua rotina de preparação. Depois de lidar com muitos problemas relacionados à sua saúde mental nos últimos anos e de ter feito uma pausa na carreira após o último US Open, a agora número 14 do mundo vai trabalhar de uma forma diferente durante as semanas do torneio para ficar menos exposta à pressão por resultados.

"Eu me sinto muito empolgada por estar aqui e para jogar na Rod Laver. Isso me deixa muito feliz. Na primeira semana estava um pouco nervosa sobre como jogaria depois de tanto tempo parada. Acho que aprendi a cada partida que joguei. Para mim, essa foi a parte mais importante. Espero ser capaz de aplicar as coisas que aprendi no primeiro torneio do ano", disse Naomi Osaka, na entrevista coletiva. A japonesa iniciou a temporada há duas semanas, também em Melbourne, disputando um WTA 250 preparatório para o primeiro Grand Slam do ano.

+ Osaka diz que está recuperando o amor pelo tênis

"Mas acho que a abordagem que estou adotando neste Slam é um pouco diferente de todos os outros. Trouxe um diário comigo, então tenho escrito como me sinto todos os dias. Eu também fui até uma loja e comprei velas e incenso, então criei uma rotina no meu quarto porque sabia que ia ficar um pouco lá. Além disso, eu tento me divertir com a minha equipe, sabendo que há muitos jogadores que adorariam estar na posição em que estou agora, porque estar na chave principal de um slam é sempre um objetivo. Estou apenas pensando em um dia de cada vez", acrescentou a tenista, que é treinada pelo belga Wim Fissette.

"Descobri que ter a equipe certa é muito importante. Você está com eles quase todos os dias do ano. É como se suas energias se misturassem. Se uma pessoa está meio desequilibrada, isso atrapalha todo o seu trabalho. Eu sinto que é muito importante que todos nós nos comuniquemos regularmente porque queremos ter certeza de que estamos no mesmo caminho e que temos os mesmos objetivos. Então, eu sinto que para montar o quebra-cabeça você tem que encontrar as peças certas", complementou a ex-número 1 do ranking.

Depois de ter sofrido uma lesão abdominal no único torneio preparatório para o Australian Open, a jogadora de 24 anos garante estar em melhores condições. "Eu me curo bem rápido. Estou o melhor que posso neste momento atual. Mas também acho que, tipo, atletas, temos problemas o tempo todo. É meio impossível jogar um Grand Slam sem sentir alguma coisa. Estou ciente disso e sei que você não pode ser perfeita o tempo todo".

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Australian Open (@australianopen)

Estreia contra colombiana na Austrália
A estreia de Osaka em Melbourne será por volta das 23h (de Brasília) deste domingo contra a colombiana Camila Osorio, número 50 do mundo, em confronto inédito no circuito. "Na verdade, não sei nada sobre a minha adversária da primeira rodada. Acho isso um pouco raro. Mas conhecendo Wim, ele virá até mim com um livro de informações, algumas das quais não vou processar. É sempre emocionante viver momentos como este. Você enfrenta novas jogadoras e vê novos rostos. Sinto que é revigorante. Espero não ter um choque. Por isso, preciso estar preparada para o momento".

'Barty é a número 1 ideal', diz a japonesa
A ex-líder do ranking também teceu muitos elogios à atual número 1 do mundo Ashleigh Barty, que está no mesmo setor da chave e pode ser sua adversária nas oitavas de final. "Acho que ela é a número 1 ideal, porque é muito consistente. Eu acompanhei no ano passado todos os sacrifícios que ela fez para viajar o circuito sem voltar para a Austrália. Sei que deve ter sido muito difícil. Honestamente, no ano passado eu só treinei com ela uma vez. Foi em Roland Garros e não foi tão bom para mim. Mas acho ela realmente incrível e sempre tão positiva. Ela e seu treinador sempre são muito legais com todo mundo. Eu realmente gosto muito dela".

Comentários