Notícias | Dia a dia
Bia conquista em Sydney seu maior título nas duplas
15/01/2022 às 00h50

Bia e a parceira Anna Danilina eliminaram favoritas no caminho para o título

Foto: Reprodução/Instagram

Sydney (Austrália) - A excelente semana de Beatriz Haddad Maia na chave de duplas do WTA 500 de Sydney terminou da melhor maneira possível. Bia e a parceira cazaque Anna Danilina conquistaram o título do torneio preparatório para o Australian Open vencendo na final a húngara Panna Udvardy e a alemã Vivian Heisen por 4/6, 7/5 e 10-8.

Este é o terceiro título de duplas da carreira de Bia Haddad Maia na elite do circuito da WTA. Antes disso, ela havia vencido dois torneios 250 em Bogotá, com Paula Gonçalves em 2015 e com a argentina Nadia Podoroska em 2017.

A paulistana de 25 anos e é hoje apenas a 485ª do ranking de duplas, mas já foi 79ª do mundo quando atuava na modalidade com maior frequência. O título vale 470 pontos no ranking de duplas e deve recolocá-la no top 200. As campeãs também dividem um prêmio de 36.200 dólares australianos. Bia prioriza o circuito de simples e é a número 1 do Brasil e 88 do mundo. Ela estreia na chave de simples do Australian Open contra a norte-americana Katie Volynets

Foram necessários sete match-points para fechar o jogo
Bia e sua parceira tiveram um bom início de partida e foram as primeiras a quebrar, chegando a liderar o set inicial por 3/1. Mas depois disso, só fariam mais um game até o fim da parcial. Udvardy e Heisen conseguiram quebrar duas vezes o serviço da brasileira para vencer o primeiro set.

A segunda parcial começou com uma ótima devolução de Danilina com o backhand na paralela para quebrar o serviço da húngara. Em vantagem, Bia e sua parceira cazaque chegaram a liderar o set por 4/2, mas permitiram o empate no oitavo game. Na sequência, Udvardy confirmou o serviço sem sustos e sua dupla passou à frente. Mas depois disso, foi a vez de Danilina sacar bem e de Heisen ter o serviço quebrado com uma dupla falta. Um ótimo game de Bia forçou o match tiebreak.

O game-desempate começou com ampla vantagem para Bia e Danilina, que venceram os quatro primeiros pontos e vinham ampliando a diferença, chegando a abrir 9-2 no placar. No entanto, fechar a partida foi uma tarefa dura para a brasileira e a cazaque, que precisaram de sete match-points até a confirmação da vitória.

Bia eliminou duplas favoritas e iguala marca de Stefani
Durante a campanha até a final, Bia e Danilina eliminaram duas duplas favoritas. Logo na estreia, venceram a canadense Gabriela Dabrowski e a mexicana Giuliana Olmos, cabeças de chave 3 do evento. Já na semifinal, passaram pelas japonesas Shuko Aoyama e Ena Shibahara, cabeças 2. Elas também derrotaram as russas Ekaterina Alexandrova e Natela Dzalamidze, com vitória de virada nas quartas.

Agora com três títulos na WTA, Bia também iguala os três títulos de WTA da medalhista olímpica Luísa Stefani, atual número 10 do mundo entre as especialistas em duplas. As duas brasileiras também tentam se aproximar das marcas de Patrícia Medrado, dona de cinco títulos de primeira linha, e Cláudia Monteiro, que tem quatro conquistas. Já a lendária Maria Esther Bueno, apesar de ter a maior parte das conquistas na fase amadora, é também dona do maior título das mulheres brasileiras no tênis profissional ao vencer o US Open de 1968.

Bia agradeceu à parceira e dedicou título às vítimas de enchentes
Durante a cerimônia de premiação, Bia agradeceu a parceira Danilina, ao lembrar que a dupla foi formada de última hora e que a cazaque sequer iria para a Austrália nesta semana. Também dedicou a conquista às vítimas das enchentes que tivemos no Brasil, especialmente nos estados da Bahia e de Minas Gerais, nas últimas semanas.

"Em primeiro lugar, eu quero agradecer à Anna por jogar nesta semana comigo. Nós não iríamos jogar juntas, ela disputaria um outro torneio na Europa, mas eu estava sem parceira e mandei uma mensagem para ela, que aceitou e veio no primeiro avião para cá. Não tínhamos grandes expectativas para esta semana, mas acho que é por isso que estamos com este troféu agora", disse Bia à sua parceira. "E eu gostaria de dedicar esse troféu a todas as pessoas no Brasil que estão passando por momentos difíceis, porque estamos sofrendo com fortes chuvas nas últimas semanas. As pessoas estão morrendo. Então, eu só posso mandar boas energias para elas. Sei que uma partida de tênis não é tão importante quanto a perda de uma vida. Muito obrigada".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva