Notícias | Dia a dia
Keys vira o jogo contra Gauff e decide em Adelaide
14/01/2022 às 10h10

Keys tenta conquistar seu sexto título de WTA, o primeiro desde 2019

Foto: Adelaide International

Adelaide (Austrália) - A semana de Madison Keys em Adelaide segue com resultados positivos. Algoz da cabeça 2 Elina Svitolina ainda na rodada de estreia, a norte-americana de 26 anos e 87ª do ranking superou nesta sexta-feira a compatriota Coco Gauff, de apenas 17 anos e 19ª do ranking, por 3/6, 6/2 e 7/5 para chegar à final da competição.

Ex-número 7 do mundo e vencedora de cinco títulos de WTA, Keys disputará sua 11ª final na carreira e a primeira desde janeiro de 2020 no 500 de Brisbane. Na última segunda-feira, ela havia perdido os 305 pontos de sua final mais recente no circuito, e assim caiu 31 posições no ranking. A campanha até a final já rende a recuperação de 180 pontos, com possibilidade de 280 pontos em caso de título. Sua última conquista foi no ano de 2019 em Charleston.

"Coco é uma jogadora fenomenal e se movimenta muito bem. Eu sabia que precisaria jogar o meu melhor tênis, porque ela é muito boa em recomeçar os pontos. Depois do primeiro set  acho que precisava apenas recomeçar e ficar no jogo e estou muito feliz por estar na final", disse Keys, que terminou o jogo com seis aces, 20 winners de forehand e sete com o backhand. Ela cometeu 52 erros não-forçados contra 40 de Gauff, que anotou 14 bolas vencedoras e três aces.

A semifinal começou com games longos, mas Gauff foi a primeira a quebrar e abriu 3/0 no placar. Ela sustentou a liderança até o fim do set inicial, apesar de ter enfrentado três break-points. Na abertura da parcial seguinte, Keys teve o serviço muito ameaçado, mas conseguiu escapar. Ela conseguiu duas quebras no segundo set e não perdeu o saque, mesmo correndo riscos em cinco ocasiões. Keys também foi a primeira a quebrar no set decisivo, liderou por 4/2, permitiu o empate no oitavo game, mas voltaria a quebrar no último game da partida.

A adversária de Keys na final deste sábado às 2h30 (de Brasília) será a norte-americana Alison Riske, de 31 anos e 57ª do ranking. Riske sequer precisou entrar em quadra, beneficiada pela desistência da eslovena Tamara Zidansek, por lesão abdominal. O histórico de seis confrontos entre as finalistas é favorável a Keys, que venceu cinco vezes. "Eu não tenho certeza de quantas vezes jogamos uma contra a outra no circuito, mas já treinamos juntas muitas vezes. Será um jogo duro, e fico feliz por começar o ano jogando bem", explicou a ex-top 10.

Riske tem três títulos de WTA na carreira, o mais recente deles conquistado no fim do ano passado em Linz. A experiente norte-americana, que já foi 18ª do ranking, disputará sua 12ª final na carreira.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva