Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nadal e Zverev caem no lado de Djokovic na chave
13/01/2022 às 04h13

Melbourne (Austrália) - Após atraso e alguns suspense, a chave masculina do Australian Open foi sorteada e com o sérvio Novak Djokovic em seu topo, abrindo campanha no Melbourne Park contra o compatriota Miomir Kecanovic, contra quem jogou uma única vez, ano passado no saibro de Belgrado, e venceu sem problemas em sets diretos.

Djokovic também conheceu seus dois maiores obstáculos rumo a mais uma final no primeiro Grand Slam da temporada, onde buscará o décimo título. Eles atendem pelo nome de Rafael Nadal e Alexander Zverev, que caíram no mesmo lado da chave do sérvio e podem enfrentá-lo em uma eventual semi. O alemão e o espanhol, contudo, se cruzam antes e devem se encarar nas quartas de final.

O caminho do líder do ranking para a semi não deve ser dos mais complicados, encarando provavelmente o norte-americano Tommy Paul na segunda rodada e o italiano Lorenzo Sonego na terceira. Nas oitavas, os principais desafios são o francês Gael Monfils e o chileno Cristian Garin. Já nas quartas, o maior perigo deve ser o italiano Matteo Berrettini.

+ Sorteio do AO tem atraso, suspense e Djokovic dentro
+ Medvedev tem Tsitsipas na semi e Kyrgios na 2ª fase
+ Osaka tem chave duríssima com Bencic e Barty


Assim como Djokovic, Zverev também abre campanha em duelo nacional, contra o compatriota Daniel Altmaier. Na segunda rodada, o vereano Feliciano Lopez ou o local John Millman cruzam com o cabeça de chave 3, que só deve ter trabalho a partir das oitavas contra Denis Shapovalov, ou Reilly Opelka, que terá uma estreia duríssima contra o sul-africano Kevin Anderson.

Nadal pode ter um pouco mais de trabalho, não na estreia contra o norte-americano Marcos Giron, mas já a partir da terceira rodada, quando deve cruzar com o russo Karen Khachanov. Nas oitavas de final, outro russo pode pintar pelo caminho, o 18º favorito Aslan Karatsev, que fez boa campanha no torneio no ano passado. Um perigo ainda maior nesta fase é o polonês Hubert Hurkacz.

Comentários