Notícias | Copa Davis
De olho na semi, forte time russo encara a Suécia
01/12/2021 às 21h46

O número 2 do mundo Daniil Medvedev entra em quadra nesta quinta-feira

Foto: Davis Cup Finals

Madri (Espanha) - O último semifinalista da Copa Davis será conhecido na tarde desta quinta-feira. A forte equipe da Federação Russa de Tênis, que conta com o número 2 do mundo Daniil Medvedev e o quinto colocado Andrey Rublev, atua ao meio-dia (de Brasília) contra a Suécia. Quem vencer encara a Alemanha na semifinal de sábado. Do outro lado da chave, já estão classificadas as equipes da Sérvia e da Croácia.

Além de Medvedev e Rublev, a equipe russa em Madri conta com o 18º do mundo Aslan Karatsev, o 29º do ranking Karen Khachanov e o 173º colocado Evgeny Donskoy. O capitão é Shamil Tarpishchev. Já a Suécia tem os irmãos Mikael e Elias Ymer, 93º e 171º do ranking respectivamente, além Jonathan Mridha, Andre Goransson e o veterano duplista de 44 anos Robert Lindstedt. O comando é do ex-top 5 Robin Soderling.

"Estamos muito felizes por estarmos nas quartas e faremos o nosso melhor para ir mais longe", disse Andrey Rublev após a classificação russa em primeiro lugar no grupo A, que ainda tinha a Espanha e o Equador. "Há dois anos, chegamos às semifinais, então vamos tentar repetir esse resultado. Cada jogador nosso está dando 100 por cento, então isso é o mais importante".

Medvedev destacou a importante vitória sobre os espanhóis, que jogavam em casa e eram os atuais campeões da Davis. Os russos buscam a terceira conquista na competição. "Acho que foi muito importante para a nossa confiança vencer uma equipe como a Espanha. Mesmo que eles não estivessem com sua melhor escalação, estão jogando em casa e vencê-los significa muito".

Soderling aposta na experiência e motivação
Já a Suécia tem sete títulos de Copa Davis, mas não conquista o troféu desde 1998. Os suecos se classificaram para as quartas como um dos melhores segundos colocados. Eles estavam no grupo B, em que venceram o Canadá, mas perderam para o Cazaquistão. O capitão Robin Soderling aposta em sua experiência e na motivação do grupo.

"Para ser um bom capitão, acho que você tem que perceber que, se você tem cinco jogadores, haverá cinco personalidades diferentes. Então você tem que pensar o que funciona melhor com cada atleta. Isso é o que tento fazer", explicou Soderling. "Eu também tento voltar muito para mim mesmo e pensar em como me senti quando jogava. Disputei grandes partidas e todos os jogadores têm as mesmas lutas e os mesmos sentimentos".

"Lembro-me de quando era criança de ir assistir aos jogos da Suécia na Copa Davis e sonhava com talvez um dia na minha vida jogando lá. Todos os jogadores da equipe cresceram assistindo a Davis em casa quando eram crianças, então todos sentem que a competição é algo grande. Claro, temos um novo formato agora, não fazemmos tantos jogos em casa e fora, mas ainda assim, a Copa Davis é uma grande coisa para todos os jogadores, junto com os Grand Slam. Todo jogador realmente quer ter sucesso na Davis".

Comentários