Notícias | Dia a dia
Favorita dos fãs, Muguruza brilha e vence o Finals
18/11/2021 às 00h32

Sempre muito apoiada pela torcida, Muguruza vestiu a camisa do México em vários momentos do torneio

Foto: Akron WTA Finals

Guadalajra (México) - Apoiada pela torcida mexicana durante toda a semana do WTA Finals em Guadalajara, Garbiñe Muguruza brindou os fãs com uma grande atuação na final e conquistou um título inédito em sua carreira. A espanhola venceu nesta quarta-feira a estoniana Anett Kontaveit na final por 6/3 e 7/5 em 1h38 de partida. Este foi o décimo título na carreira profissional de Muguruza, de 28 anos, que também havia vencido um WTA 1000 em Dubai e um 500 em Chicago nesta temporada.

Ex-número 1 do mundo e atual quinta colocada, Muguruza terminará o ano na terceira posição do ranking. Em janeiro, aparecia apenas no 15º lugar, mas se recuperou com uma série de resultados consistentes e com 42 vitórias na temporada. Já Kontaveit vive o melhor momento da carreira aos 25 anos. Ela venceu 48 jogos em 2021, com quatro títulos e sete finais na WTA. Com isso, saltou do 23º lugar que ocupava em janeiro para a sétima posição que terá na segunda-feira.

A vitória desta quarta-feira foi a segunda de Muguruza sobre Kontaveit neste WTA Finals. As duas estavam no mesmo grupo e se enfrentaram no último domingo, quando a espanhola venceu por duplo 6/4. Ela agora lidera o histórico de confronto por 4 a 2. Durante a primeira fase, a espanhola também passou pela tcheca Barbora Krejcikova, mas perdeu para Karolina Pliskova na estreia. Já na semifinal, venceu um duelo espanhol contra Paula Badosa. Ela é também a primeira jogadora espanhola a vencer o Finals, superando a campanha de Arantxa Sanchez, vice em 1993.

Por ter obtido duas vitórias e uma derrota na fase de grupos, Muguruza não pode atingir o prêmio máximo do torneio, que é de US$ 1,68 milhão e 1.500 pontos no ranking. A campeã vai receber 1.375 pontos e mais US$ 1,57 milhão. Esta foi sua quarta participação no Finals e até então a melhor campanha era a semifinal de 2015. Já Kontaveit disputou o evento pela primeira vez e ganha 955 pontos e mais US$ 750 mil.

Espanhola dominou o primeiro set e teve uma reação incrível no segundo
Jogando em altíssimo nível durante o primeiro set, Muguruza conseguiu três quebras na parcial. Além disso, deu continuidade ao seu bom momento no saque, algo que já vinha sendo exibido nos dois últimos jogos. Além disso, Kontaveit estava claramente muito tensa na partida e cometeu 22 erros no set, o que possibilitou a Muguruza conseguir três quebras. A espanhola definiu a parcial com um belíssimo lob.

Logo no início do segundo set, a espanhola escapou de um 15-40. Já no sexto game da parcial, teve uma chance de quebra e errou uma devolução de segundo serviço. Naquele game, também errou um swing-volley, que a tirou mentalmente do jogo por alguns momentos. Kontaveit conseguiu uma quebra logo na sequência e chegou a abrir 5/3 no placar, mas a estoniana não conseguiu sacar para o set.

Nos últimos quatro games da partida, Muguruza praticamente não errou e seguiu se alimentando da energia do público para jogar um belíssimo tênis e virar o placar. Além disso, Kontaveit cometeu erros cruciais na reta final da partida. Muguruza fez 16 a 15 em winners e cometeu 25 erros contra 39 da estoniana. A espanhola comemorou o título com sua equipe e recebeu o troféu das mãos de Billie Jean King.

Jogar o Finals na América Latina trouxe motivação extra
Nascida na Venezuela, mas criada na Espanha desde criança, Muguruza reiterou durante toda semana o quanto seria importante jogar o Finals na América Latina. "Sinto que eu e a Paula [Badosa, também espanhola] somos as favoritas dos fãs porque temos uma cultura semelhante, a cultura latina em geral. Eu sinto que é ótimo", disse a TenisBrasil no dia de entrevistas antes do torneio. "Acho que nossa presença no torneio vai motivar as jovens da Espanha e também da América Latina, que podem se identificar conosco ao nos ouvirem falar. Elas podem se sentir mais próximas do tênis, o que nem sempre acontece quando se vê jogadoras distantes ou estrangeiras. Sinto que desta vez elas podem estar mais perto de nós."

Ela voltou a falar sobre isso após a vitória sobre Krejcikova: "Quando soube que o Finals seria aqui, fiquei muito feliz por causa do ambiente. Já joguei aqui antes e sabia que seria divertido. O tênis é algo que eles não podem acompanhar todos os dias. Acho que isso é apenas uma prova de que poderiam fazer mais torneios aqui", e também abordou o tema na semifinal. "Provavelmente é uma oportunidade única na minha carreira de jogar um Finals no México. É uma situação super motivadora para mim. Sempre que venho jogar aqui, eu me sinto muito bem-vinda e muito feliz. O ambiente é ótimo para mim. Quando eu soube que o Finals seria aqui, eu pensei: 'Ok, Garbiñe, esta é a sua chance'".

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG