Notícias | Dia a dia
Muguruza e Kontaveit decidem o Finals às 22h30
17/11/2021 às 16h48

Kontaveit e Muguruza estavam no mesmo grupo do Finals e a espanhola venceu no último domingo

Foto: Akron WTA Finals
Mário Sérgio Cruz

Último grande evento no calendário do tênis feminino em 2021, o WTA Finals conhecerá sua campeã nesta quarta-feira em Guadalajara, no México. A espanhola Garbiñe Muguruza, número 5 do mundo, e a estoniana Anett Kontaveit, oitava colocada, decidem o título a partir das 22h30 (de Brasília). A partida será transmitida pelo serviço de streaming Star+.

Muguruza lidera o histórico de confrontos por 3 a 2, com direito a uma vitória na fase de grupos do Finals no último domingo. Mas Kontaveit também tem um triunfo recente diante da espanhola, em jogo válido pelo WTA 500 de Moscou no mês passado, em que marcou um duplo 6/1 em apenas 49 minutos de partida.

Em uma temporada em que conseguiu voltar a ter uma sequência de bons resultados, Muguruza tem 41 vitórias em 2021. A experiente jogadora de 28 anos e ex-número 1 do mundo ocupava apenas o 15º lugar em janeiro e venceu este ano um WTA 1000 em Dubai e um 500 em Chicago, além de ter disputado mais duas finais de nível 500, em Melbourne e Doha. Já Kontaveit vive o melhor momento da carreira aos 25 anos e vai em busca de seu título mais importante. De seus cinco títulos na carreira, quatro foram conquistados este ano, em Cleveland, Ostrava, Moscou e Cluj-Napoca. A estoniana disputará sua sétima final em uma temporada de 48 vitórias.

Quanto vale o título do WTA Finals?
Como as duas jogadoras fizeram campanhas de duas vitórias e uma derrota na fase de grupos, elas não podem atingir o prêmio máximo do torneio, que é de US$ 1,68 milhão e 1.500 pontos no ranking. A campeã vai receber 1.375 pontos e US$ 1,57 milhão. Já a vice ganha 955 pontos e mais US$ 750 mil. É certo que a espanhola terminará o ano como número 3 do mundo, enquanto a estoniana será a sexta colocada com título ou sétima com o vice.

Esta é a sétima vez que duas jogadoras que estavam no mesmo grupo decidem o WTA Finals, e as duas últimas tiveram revanches. Dominika Cibulkova superou a então invicta Angelique Kerber na final de 2016, enquanto Serena Williams devolveu a derrota sofrida para Simona Halep na primeira fase de 2014. Ambas buscam também títulos inéditos para seus países.

O que elas disseram?
"Vai ser uma final difícil. Eu já ganhei e já perdi contra ela. Sei que está jogando muito bem e vem com muita confiança. Vai ser o último teste para mim. Estou apenas ansiosa para esse jogo, mas sinto que tenho que me concentrar em mim mesma", afirmou Muguruza, que vem de uma boa vitória sobre Paula Badosa na semifinal por duplo 6/3. A espanhola também minimiza o impacto da recente derrota em Moscou. "Naquele jogo, realmente não era meu dia. Eu meio que esqueci já aquele jogo porque senti que não joguei bem".

Já Kontaveit busca ajustes para um resultado melhor contra a espanhola em Guadalajara, depois de ter perdido há três dias. "Certamente, eu tenho que diminuir os erros não forçados em comparação com a partida anterior. Acho que é o principal. E depois, lutar de verdade e dar tudo de mim", explicou a estoniana, que bateu Maria Sakkari na semifinal por 6/1, 3/6 e 6/3. "Acho que já jogamos algumas vezes em um período muito curto de tempo. Estou pronta para um jogo difícil. Ela está jogando um ótimo tênis e derrotou jogadoras muito boas no torneio. Estou realmente ansiosa para este novo desafio".

Final de duplas às 20h vale o número 1 do ranking

Mais cedo, às 20h, acontece a final do torneio de duplas com as tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova, atuais campeãs olímpicas e de Roland Garros, enfrentando a belga Elise Mertens e a taiwanesa Su-Wei Hsieh, vencedoras de Wimbledon e Indian Wells este ano. As parcerias estavam no mesmo grupo do Finals, e as tchecas venceram por 6/3 e 6/1 no último sábado. O confronto também vale a liderança no ranking, já que Siniakova e Hsieh tentam terminar o ano como a melhor jogadora do mundo na modalidade.

Krejcikova e Siniakova conquistaram uma difícil vitória de virada na semifinal sobre a norte-americana Nicole Melichar e a holandesa Demi Schuurs por 3/6, 6/3 e 10-6 na última terça-feira. Parceiras desde o juvenil, as tchecas disputam o terceiro Finals juntas e têm um vice-campeonato em 2018. Já Mertens e Hsieh passaram pelas japonesas Shuko Aoyama e Ena Shibahara por duplo 6/2. Elas só começaram a jogar juntas durante a temporada de saibro deste ano e Hsieh tem um título do Finals ao lado de Shuai Peng em 2013.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG