Notícias | Dia a dia
'Orgulhoso por superar meu herói', celebra Djokovic
06/11/2021 às 19h26

Sérvio superou o ídolo Pete Sampras e agora é isolado quem mais vezes fechou ano como nº 1

Foto: ATP

Paris (França) - Na mesma temporada em que bateu o recorde de semanas como número 1, o sérvio Novak Djokovic também conseguiu se tornar o tenista que mais vezes terminou uma temporada na ponta do ranking, alcançando este feito pela sétima vez. Ele deixou para trás as seis do norte-americano Pete Sampras, com quem estava empatado até então e por quem prestou toda sua homenagem.

“É uma grande conquista e obviamente estou muito orgulhoso por estar nesta posição mais uma vez. Será a sétima vez, que é histórica porque vou superar meu herói de infância Pete Sampras. É incrível”, comemorou Djokovic, que garantiu o posto mais alto neste sábado ao bater o polonês Hubert Hurkacz de virada e se classificar para a final do Masters 1000 de Paris.

“Compartilho esse momento com minha família, minha equipe e todas as pessoas próximas da minha vida. Sem o apoio deles seria difícil, então mesmo sendo um esporte individual, no fim do dia é um esforço de equipe”, complementou Djokovic, que agora terá a chance de uma revanche contra o russo Daniil Medvedev, seu algoz na final do US Open.

O duelo entre eles será apenas o segundo da história envolvendo os dois primeiros do ranking na final de Paris. “Da última vez que nos enfrentamos, ele me venceu, mas eu também o derrotei na final do Aberto da Austrália. Foram duas partidas bastante diretas”, falou o sérvio, lembrando dos dois confrontos com Medvedev na temporada.

+ Medvedev espera ajustes de Djoko para novo duelo
+ Final será apenas 2ª em Paris entre os dois melhores

No geral, Djokovic leva vantagem sobre o russo, com cinco vitórias e quatro derrotas. “Espero poder levar a melhor desta vez e que tenha aprendido com aquela experiência em Nova York. Eu o vi jogar um pouco hoje contra Zverev e está mostrando um tênis fantástico. Ele está de volta ao seu melhor, está errando pouco e sacando muito bem. Parece que encontrou o ritmo aqui”, analisou.

Questionado se o recorde de temporadas encerradas como número 1 é mais importante para ele do que o de semanas na liderança, Djokovic saiu pela tangente. “Não quero escolher nenhum, valorizo ​​muito todos os recordes conquistados. Ser historicamente o melhor jogador do mundo é provavelmente a conquista mais importante do nosso esporte”, afirmou o tenista de Belgrado.

“Além disso, terminar a temporada como número 1 exige grande empenho e consistência durante o ano. Então foi isso que fiz, joguei meu melhor no Grand Slams e consegui a maioria dos meus pontos lá”, acrescentou Djokovic, que conquistou mais de 75% de seus pontos nos quatro principais torneios da temporada.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva