Notícias | Dia a dia
Suíças calam estádio e derrubam anfitriãs tchecas
04/11/2021 às 19h36

Bencic venceu seus jogos de simples e duplas nesta quinta-feira em Praga

Foto: Paul Zimmer/ITF

Praga (República Tcheca) - Apesar da grande torcida para a equipe da República Tcheca, que compareceu em bom número à O2 Arena de Praga nesta quinta-feira, o time da casa está eliminado ainda na fase de grupos da Copa Billie Jean King. Depois de uma vitória para cada lado entre tchecas e suíças nas partidas de simples, o time suíço se classificou para a semifinal após a vitória nas duplas com Belinda Bencic e Jil Teichmann. Elas superaram Lucie Hradecka e Katerina Siniakova por duplo 6/3.

Ainda sonhando com um título inédito na competição, a Suíça tem como melhor resultado na Copa Billie Jean King um vice-campeonato em 1998. As suíças enfrentam na semifinal a Austrália, em confronto marcado para às 13h (de Brasília) desta sexta-feira. A outra semifinal será entre Estados Unidos e Federação Russa de Tênis, que se enfrentam a partir das 6h30.

Na partida que definiu a classificação para a semi, as suíças já largaram com uma quebra acima logo no game de abertura, após duas duplas faltas de Hradecka. Com duas jogadoras muito agressivas do fundo de quadra, além de boas intervenções de Bencic junto à rede, elas exploraram ao máximo a veterana rival de 36 anos, que voltaria a ter o serviço quebrado na reta final do primeiro set.

A segunda parcial vinha com domínio das sacadoras, quando as suíças aproveitaram o único break-point que tiveram, novamente sobre o saque de Hradecka. Coube a Bencic definir a disputa em seu saque. As suíças não sofreram quebras na partida de duplas e só enfrentaram um break-point.

"O segredo foi assumir o risco, porque obviamente elas tinham uma ótima dupla, com duas campeãs de Grand Slam do outro lado. Acho que a Jil era perfeita para esse jogo, porque ela é muito agressiva e estou muito feliz por ter sido a parceira dela hoje", disse Bencic, que conquistou duas medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o ouro em simples e a prata nas duplas ao lado de Viktorija Golubic.

Para capitão suíço, novo formato equilibrou confrontos
O capitão suíço Heinz Gunthardt também destacou o quanto é difícil bater o time tcheco, vencedor em seis das últimas nove edições do evento, citando ainda que a mudança no formato da competição tornou as disputas mais equilibradas. "Obviamente, nós nos sentimos ótimos. A República Tcheca tem o melhor time do mundo, mas por um dia nós fomos o melhor time do mundo", afirmou. "É um pouco mais fácil de vencê-las nesse formato, em que você precisa vencer dois pontos, e não três como era antes. Mas sinto que nós também tínhamos um bom time, capaz de competir com qualquer um e provamos isso".

A equipe Suíça ficou em primeiro lugar no forte Grupo D, com República Tcheca e Alemanha. Já a Austrália, adversária na semi, vem de vitórias sobre Bélgica e Belarus. "Ainda não pensei em como vamos enfrentar a Austrália, porque estávamos focados nesse confronto. Mas certamente vamos para o vestiário, fazer os ajustes necessários e estaremos prontos para o próximo jogo. A vantagem de termos jogado terça e quinta pela fase de grupos é que tivemos um dia livre, mas não teremos esse dia livre antes do confronto de amanhã. Ainda assim, estou bem otimista de que vamos nos recuperar e estaremos prontos".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva