Notícias | Dia a dia
Basilashvili lembra momentos duros e falta de apoio
17/10/2021 às 10h12

Indian Wells (EUA) - Primeiro georgiano da história a alcançar uma final de Masters 1000, Nikoloz Basilashvili vem fazendo história para o tênis de seu país e tenta escrever mais um capítulo neste domingo às 20h (horário de Brasília), quando enfrentará o britânico Cameron Norrie na final de Indian Wells, ambos em busca do maior título de suas carreiras.

Vindo de um país sem grande tradição no tênis, Basilashvili lembrou das dificuldades que teve que superar para chegar em seu patamar atual. “Passei por momentos muito difíceis, tive que ganhar muita experiência jogando futures, depois jogando challengers e só então consegui chegar nos torneios ATP”, contou o tenista de 29 anos.

“Eu sabia que nunca jogaria na minha juventude um tênis realmente bom porque precisava antes conseguir toda essa experiência. Nunca tive oportunidade de receber convites e não tive nenhum apoio do meu país porque obviamente o tênis não é popular lá. Além disso tem o lado financeiro, já que nunca tive algum tipo de patrocinador”, complementou Basilashvili.

Ainda assim ele conseguiu ter sucesso no circuito, já venceu cinco títulos e tenta agora primeiro Masters 1000 da Geórgia. “Significa muito, obviamente. Também foi o primeiro a ganhar títulos ATP, algo que nunca tinha acontecido. Estou super feliz por poder alcançar algo assim, especialmente um país muito pequeno como a Geórgia, em que o tênis não é tão popular. Passei por caminhos muito difíceis para chegar até aqui”.

Basilashvili gostou do desempenho que mostrou na semi contra o norte-americano Taylor Fritz “Acho que joguei um tênis muito bom. Na minha opinião, Taylor me forçou a jogar muito bem, precisei mostra um tênis muito bom desde o início para vencê-lo. Saquei bem, estava focado e tive um grande desempenho nos break-points", analisou o georgiano, que aproveitou a única chance que teve e salvou o saque sete vezes.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG