Notícias | Dia a dia
Azarenka volta à final e tenta o tri em Indian Wells
16/10/2021 às 00h32

Azarenka tenta conquistar seu 22º título no circuito profissional

Foto: BNP Paribas Open

Indian Wells (EUA) - No jogo que abriu a rodada de semifinais do WTA 1000 de Indian Wells, Victoria Azarenka e Jelena Ostapenko protagonizaram uma disputa equilibrada e digna de duas vencedoras de Grand Slam. Bicampeã do torneio nos anos de 2012 e 2016, Azarenka começou atrás no placar, mas conseguiu a vitória de virada, com parciais de 3/6, 6/3 e 7/5 em 2h20 de partida para voltar à final de Indian Wells depois de cinco anos.

Azarenka disputará sua 41ª final na carreira e busca o 22º título. Sua última conquista foi no WTA 1000 de Cincinnati do ano passado, quando o torneio foi excepcionalmente transferido para Nova York. Já a final mais recente havia acontecido em Ostrava, também em 2020. A adversária virá da partida entre a espanhola Paula Badosa e a tunisiana Ons Jabeur. Ela nunca enfrentou Badosa e lidera o histórico contra Jabeur por 1 a 0.

Ex-número 1 do mundo e atual 32ª do ranking, Azarenka está com 32 anos. Ela está subindo para o 26º lugar e pode terminar o torneio na 17ª ou 18ª posição em caso de título, dependendo do resultado de Badosa. Já Ostapenko, ex-top 5 e atual 29ª colocada, está com 24 anos e disputou duas finais na temporada, com título em Eastbourne e vice em Luxemburgo.

Azarenka começou atrás no placar e conseguiu a virada
Ostapenko foi superior durante o primeiro set. A letã conseguiu uma quebra logo cedo e já abriu 3/0, ficando à frente no placar durante toda a parcial. Reconhecida por seu estilo de jogo agressivo e de muita potência nos golpes, ela comandava as ações do fundo de quadra com seu forehand e pressionava muito nas devoluções, como já havia feito com outras adversárias do torneio. Azarenka até chegou a devolver a quebra no quinto game, mas voltaria a perder o saque logo na sequência. Com isso, a letã terminou o set com 15 a 4 em winners, e 12 erros contra 9 da rival.

A vantagem de Ostapenko ficou ainda maior no segundo set, novamente com uma quebra bastante cedo e liderança por 2/0. Mas Azarenka conseguiu reagir na partida. A bielorrussa começou a sacar melhor e a fazer um jogo muito firme defensivamente, para que a rival tivesse sempre que jogar uma bola a mais. Os erros não-forçados de Ostapenko aumentavam, enquanto Azarenka crescia no jogo e chegou a vencer cinco games seguidos. Ela só precisou fazer um winner na parcial contra 12 de Ostapenko, mas cometeu apenas seis erros diante de 20 da letã.

O terceiro set começou com games longos e vantagem para Azarenka. Ela conseguiu uma quebra e escapou de três break-points para abrir 2/0 no placar. A bielorrussa ainda teve uma chance de colocar duas quebras à frente e se aproximar da vitória, mas não a aproveitou. Em um game de saque muito ruim, permitiu o empate por 3/3.

O equilíbrio na partida prevalecia e Azarenka tinha o apoio da maior parte da torcida. Mesmo encarando games longos no saque, a bielorrussa não enfrentava mais break-points. Reconhecida como uma das grandes sacadoras do circuito, criou chances frequentes no serviço de Ostapenko até voltar a quebrar para fazer 6/5. Sacando para o jogo, a ex-número 1 do mundo precisou escapar de três chances de quebra, uma delas apostando em um drop-shot e subindo à rede. As variações ajudaram demais Azarenka e consolidar a vitória de virada. Ostapenko fez o triplo de winners, 45 a 15, mas cometeu 59 erros não-forçados contra 27 da bielorrussa.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG