Notícias | Dia a dia
'Feliz e orgulhosa', Bia destaca equilíbrio emocional
11/10/2021 às 23h29

Bia marcou a maior vitória da carreira ao superar a número 3 do mundo em Indian Wells

Foto: Divulgação

Indian Wells (EUA) - Após sua expressiva vitória nesta segunda-feira pelo WTA 1000 de Indian Wells, Beatriz Haddad Maia destacou o controle das emoções para superar a número 3 do mundo Karolina Pliskova e garantir seu lugar nas oitavas de final do torneio. Bia diz ainda que estudou bastante o jogo da tcheca e que o vento foi mais um adversário implacável. A brasileira saiu de quadra ciente de que não conseguiu jogar seu melhor tênis e diz que o aspecto mental do jogo foi determinante para a vitória.

"Estou muito feliz com a minha partida de hoje. Fui um dia difícil, porque estava ventando muito e certamente não jogamos no nosso melhor nível de tênis. Então foi um jogo muito emocional e mental. Então estou muito feliz por ter conseguido ser mais forte mesmo quando eu perdia o meu saque. Eu estava tentando me motivar e acho que isso funcionou hoje", disse Bia, após marcar as parciais de 6/3 e 7/5 sobre Pliskova.

"Também estudamos bastante o jogo dela e isso me ajudou a fazer ótimos games de devolução. O único ponto que me deixa insatisfeita é que saquei muito abaixo do que venho treinando, mas estou bastante consciente do que preciso melhorar", acrescentou a brasileira de 25 anos, que marcou sua segunda vitória contra top 10 na carreira. Ela já havia vencido a norte-americana Sloane Stephens, então quarta colocada, no piso duro de Acapulco em 2019.

"Certamente, o vento foi mais um adversário hoje. Mas assim é o tênis, você não pode controlar as condições. Nós duas sabíamos que seria muito difícil para jogar hoje e eu sabia em alguns momentos eu poderia não sentir tão bem a bola porque o vento estava mudando", explicou a canhota paulista, que fez 19 winners e 18 erros não-forçados. Já Pliskova anotou 24 bolas vencedoras e cometeu 42 erros. O jogo teve ao todo 13 quebras de serviço, oito para a brasileira. E as duas jogadoras criaram ao todo 28 break-points, 14 para cada uma. Chama atenção também as 12 duplas faltas da tcheca na partida.

Bia entrou na chave de Indian Wells como lucky-loser. Ela havia perdido na última rodada do quali para a norte-americana Usue Arconada, mas foi beneficiada por três desistências, a última delas da argentina Nadia Podoroska, que seria cabeça 29. Com isso, a brasileira herdou uma vaga já na segunda rodada da chave principal e estreou no sábado vencendo a egípcia Mayar Sherif em sets diretos.

"É só a minha segunda vez aqui, mas eu disse ao meu time que esse é o meu torneio favorito da WTA. E eu não estou dizendo só porque estou aqui, mas porque esse evento é muito especial para mim. Estou muito feliz e orgulhosa. Tive uma segunda chance depois de ter perdido na última rodada do quali, sofri um 6/0 no terceiro set e estava muito decepcionada, mas quando eu tive uma nova chance eu precisava fazer o meu melhor".

Brasileira voltará ao top 100 do ranking mundial
Número 1 do Brasil, Bia iniciou o torneio como 115ª do ranking e voltará ao top 100 do ranking mundial depois de dois anos com sua ótima campanha em Indian Wells. A melhor marca de sua carreira foi o 58º lugar, alcançado em setembro de 2017 e repetido no início do ano seguinte. "Significa muito para mim estar de volta ao top 100. Não só para mim, como também para minha família, meus amigos, minha equipe e todos que estiveram comigo nos momentos difíceis da minha carreira".

A próxima adversária de Bia em Indian Wells será a estoniana Anett Kontaveit, número 20 do mundo e que está invicta há oito jogos no circuito, vinda de título no WTA 500 de Ostrava em quadras duras e cobertas. "Ela é uma excelente jogadora, então vou entrar e fazer o meu melhor. Tenho que continuar fazendo o que já estou colocando em prática, ser agressiva e criar as minhas oportunidades. Muito feliz com o trabalho duro que venho apresentando".

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG