Notícias | Beach Tennis
Beach: Brasil estreia contra México na Copa do Mundo
04/10/2021 às 22h00

Treinamento dos brasileiros em Copacabana.

Foto: Marcello Zambrana/ DGW

Rio de Janeiro (RJ) – A Seleção do Brasil pegou o grupo mais forte para a ITF Beach Tennis World Cup, a Copa do Mundo por equipes. O Brasil faz sua estreia na competição, nesta terça-feira, às 19h, contra o México, com transmissão ao vivo pelo SporTV e pela NSports direto da Praia de Copacabana.

O time nacional, atual bicampeão (2018 e 2019) e com outro título em 2013, terá pela frente as fortes equipes da Alemanha e da Venezuela, além da novata equipe do México pelo Grupo B da primeira fase do evento, com 16 países, que vai até o domingo em frente ao Lido.

"É o grupo mais complicado do sorteio. México é uma seleção mais nova e dois países muito fortes do Beach Tennis do mundo, Alemanha e Venezuela. Quase perdemos da Alemanha em 2018, é uma seleção muito forte com uma das melhores do mundo que é a Maraike Biglmaier, uma dupla masculina muito firme e a Venezuela com a Paty Diaz, que é uma das melhores também e o Ramon Guedez, que mora no Brasil e conhece perfeitamente nosso jogo. Será um desafio bem grande para nós. Desde o primeiro jogo, começaremos bem ligados, com muita tensão. Não será fácil, mas temos tudo para irmos para cima e fazer nosso melhor", disse Alex Mingozzi, capitão brasileiro.

André Baran, sexto do mundo e principal atleta nacional, destacou: "Grupo duro, já entramos no clima do Mundial, estamos fechados, desde a primeira partida entrar como se fosse a final de um campeonato e o torneio não dá brechas para que não entremos ligados. É entrar no 220v, o grupo superunido, sabemos que temos grandes coisas pela frente."

Maraike Biglmaier, ex-número 1 do mundo e principal nome da Alemanha, lembrou do duelo de 2018 quando a seleção alemã teve match-points para eliminar o Brasil no Mundial de Moscou, na Rússia, e espera causar uma decepção à torcida brasileira na arena que tem capacidade para 450 pessoas. "Tivemos algumas duras batalhas contra o Brasil no passado, é uma situação especial aqui em Copacabana contra o Brasil. Será muito duro, atmosfera incrível, é o que espero. Claro, tentaremos segurá-los e quem sabe causar uma surpresa. No papel, o Brasil é favorito, mas somos um bom time, não podemos ficar por baixo, a pressão está com eles, espero", apontou a experiente alemã, que concordou que o grupo é o da morte. "Os Grupos C e D seriam melhores. Sim caímos no grupo da morte. Mas é o que temos e provavelmente teremos um duelo que vai definir a chave."

No sorteio pelo Grupo A, a Itália, principal favorita e tetracampeã mundial, vai buscar reconquistar o título na chave com a França, Japão e o Equador. No Grupo C estão Espanha, Chile, Curaçao e Portugal. No Grupo D, a Rússia, dona de um título mundial, tem Aruba, Porto Rico e Bulgária.

Capitão russo, Stanislav Zaychenco gostou do sorteio. "Para nós foi um bom sorteio, Aruba ou Porto Rico são os mais fortes, não será fácil, mas bom para nós, temos boas chances. Não só o Nikita Burmakin (terceiro do mundo) vem bem, mas o grupo todo está preparado, vamos buscar um bom trabalho para ter chance."

Grupos Mundial Profissional:

Grupo A
Itália, Japão, França e Equador

Grupo B
Brasil, México, Venezuela, Alemanha

Grupo C
Espanha, Chile, Curaçao, Portugal

Grupo D
Rússia, Aruba, Porto Rico, Bulgária

No profissional, os dois melhores países de cada grupo passam para as quartas de final. São três partidas por confronto, uma dupla feminina, seguido da dupla masculina e a dupla mista.

Brasil tem grupo difícil também no Júnior - A equipe brasileira juvenil também terá vida dura na Copa do Mundo juvenil onde caiu no Grupo A com a favorita Rússia, Alemanha e Venezuela. No Grupo B estão Itália, Espanha, Chile e França. Os dois melhores passam para a semifinal.

Juca Russo, capital juvenil do Brasil, comentou: "Foi o grupo da morte, as seleções mais tradicionais no juvenil, principalmente a Rússia e a Venezuela com o poderio competitivo alto, mas estamos extremamente preparados e prontos para o que der e vier."

Grupo A - Rússia, Brasil, Alemanha, Venezuela

Grupo B - Itália, Espanha, França, Chile

Simultaneamente à competição mundial serão realizados o Circuito Nacional Infantojuvenil, o Circuito Nacional Seniors e Campeonato Brasileiro de Beach Tennis. Os três torneios contarão pontos para o ranking da Confederação Brasileira de Tênis.

Comentários